Ativistas pedem habeas corpus para chimpanzé

O grupo Nonhuman Rights Project (Projeto de Direitos para Não Humanos, tradução livre) entrou com uma ação judicial pedindo o habeas corpus para o chimpanzé Tommy, de 26 anos, que vive enjaulado em um galpão de trailers usados em Gloresville, Nova York (EUA).

Reprodução/ Non Human Rights

Grupo pretende pedir habeas corpus para outros dois chimpanzés que são utilizados para testes biomédicos

Segundo a organização, a ideia é retirar o chimpanzé do cativeiro e colocá-lo em um santuário, onde poderia viver em um ambiente natural.

De acordo com a ação, além de viver em um ambiente pequeno, inadequado e escuro, o chimpanzé estaria em condição de escravidão.

O grupo lembra que os escravos humanos não eram consideradas pessoas legais e sim propriedade de seus proprietários. Por isso, seria preciso dar um passo e reconhecer que esses animais não-humanos não podem continuar sendo explorados por donos humanos.

Movida por Steven Wise, líder do projeto, a ação também argumenta que os chimpanzés têm capacidade de fazer escolhas e, como os humanos, jamais optariam por viver em jaulas.

O texto possuí 70 páginas com referências legais, científicas e filosóficas.

Outro lado

O acusado de cárcere, Patrick Lavery, comenta que resgatou Tommy junto à outros onze chimpanzés que sofriam maus-tratos.

Em entrevista para o USA Today, ele revelou que o chimpanzé fica animado e mostra carinho para ele e a esposa.

Ele afirmou também que a gaiola obedece os padrões federais e estaduais e é inspecionada todos os anos.

Com informações da Folha, Ny Times e Usa Today.

Fonte:

Deixe um comentário