Assinado contrato de concessão da BR-040

Foi assinado no Palácio do Planalto, o contrato de concessão de um trecho de 936km da BR-040. A rodovia, uma das principais do Centro-Oeste brasileiro, liga o Distrito Federal a Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, e será administrada, durante 30 anos, por uma empresa privada.

 

O acordo, formalizado pela presidente Dilma Rousseff, na presença do governador Agnelo Queiroz, determina que a empresa Investimentos e Participações em Infraestrutura (Invepar), vencedora de concorrência pública, duplique 557km, de Luziânia (GO) a Paraoapeba (MG); do entroncamento com a BR-365 (trevo Ouro Preto) até Barbacena (MG), e de Oliveira Fortes (MG) até Juiz de Fora (MG).

 

“A duplicação significa maior segurança, mais rapidez e, portanto, menor custo no transporte, sobretudo nas regiões de fronteira de produção, como é o caso de todo o Centro-Oeste brasileiro. Fico muito feliz de dar, aqui, início a uma duplicação que desde o início do Programa de Aceleração do Crescimento, em 2007, nós procuramos efetivar”, destacou a presidente Dilma Rousseff.

 

De acordo com o Ministério dos Transportes, a concessão da BR-040 terá, em todo o período de exploração, R$ 7,92 bilhões em investimentos por parte da Invepar, que venceu a concorrência oferecendo uma tarifa de R$ 3,22, o quê equivale a uma economia de 61,13% em relação aos R$ 8,29 estabelecidos como tarifa pelo edital.

 

OUTRAS RODOVIAS – Além da BR-040, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) assinou a concessão de outras duas rodovias: a BR-163, em Mato Grosso do Sul, que será explorada pelo Grupo CCR, por 30 anos, e terá investimentos de R$ 5,69 bilhões; e a BR-163, em Mato Grosso, que será gerida por igual período pela Odebrecht e terá investimento de R$ 4,6 bilhões.

 

“Hoje nós damos mais um passo importante no programa de concessão de rodovias, onde o primeiro objetivo é fazer com que o país tenha infraestrutura, logística moderna e compatível com as suas necessidades econômicas e de desenvolvimento” frisou o ministro dos Transportes, César Borges.

Fonte:

Deixe um comentário