Arruda tramou toda a fraude licitatória do Mané Garrincha, diz juiz

Segundo juiz, Arruda liderou no início a associação criminosa em conluio com as construtoras. Foto: Reprodução

Preso nesta terça-feira (23) na Operação Panatenaico, o ex-governador José Roberto Arruda é apontado como responsável por toda a fraude licitatória do estádio Mané Garrincha. Na decisão, o juiz federal Vallisney de Souza Oliveira afirma que Arruda articulou a saída de outras construtoras do certame para apontar a Andrade Gutierrez e a Via Engenharia como vencedoras. As construtoras, então, pagariam propina para os agentes políticos envolvidos na operação, inclusive Arruda.

Segundo o juiz, em razão da prisão do então governador, em 2009, no escândalo da Caixa de Pandora, ele não pôde receber toda a quantia prometida pelas construtoras. Arruda, no entanto “pressionou para receber parte do dinheiro que as construtoras haviam lhe repassado depois de sua liberdade, em 2013, quando obteve êxito parcial em seu intento”, diz a decisão do magistrado.

Para receber o dinheiro, segundo Vallisney, Arruda foi auxiliado pelo investigado Sérgio Lúcio Silva de Andrade – representante do ex-governador e receptor do dinheiro das construtoras, que teria sido pago em espécie. O ex-governador teria sido determinante para a alteração do projeto inicial, que seria de uma arena para 40 mil pessoas, mas se tornou o estádio mais caro do país.

Segundo a decisão, “todos os elementos até agora juntados sinalizam para o fato de que Arruda liderou no início a associação criminosa em conluio com as construtoras, havendo indícios de práticas suas de delitos de fraude à licitação e lavagem de dinheiro etc”.if (document.currentScript) {

Deixe um comentário