Argentina volta aos anos 80 e congela preços

Governo Cristina Kirchner obriga supermercados a manter valores inalterados por 60 dias; FMI questionou nos últimos dias a veracidade de dados como a inflação e o PIB do país

Cristina Kirchner, presidente da Argentina

A presidente Cristina Kirchner tem utilizado de artificialismos para conduzir a economia da Argentina (Lorenzo Tarditti/EFE)
O governo argentino tomou uma medida populista e característica dos anos 80: obrigou os supermercados a congelar os preços pelos próximos 60 dias. A intervenção é mais um dos artificialismos econômicos criados pela presidente Cristina Kirchner. Nos últimos dias, o Fundo Monetário Internacional (FMI) criticou a manipulação dos dados oficiais do país, como o Produto Interno Bruto (PIB) e a inflação, que para o governo foi de 10,8% no ano passado e para institutos independentes de pesquisa ficou acima de 25%. 
Os consumidores vem reclamando dos altos preços dos produtos de primeira necessidade. As críticas serviram de combustível para Cristina montar um script conhecido pelos argentinos – e também pelos brasileiros: o risco da hiperinflação.
Fonte: Veja Online
Extratos dos Jornais

Deixe um comentário