Andorinha solitária

Na quinta-feira pós-carnaval, o senador Reguffe (Podemos) foi trabalhar. Como não houve sessão porque os demais não compareceram ao plenário, gravou um vídeo em que se posicionou sobre a polêmica da convocação do presidente Bolsonaro para a manifestação de 15 de março.

Absolutismo – “Não existe Estado Democrático de Direito nem democracia sem um Legislativo forte. É necessário que o Legislativo cumpra o seu papel. Essa onda de “fecha o Congresso” não é bom para a democracia e pode voltar, no futuro, contra aqueles que hoje defendem esse discurso. Isso é absolutismo”.

Enxuto – Reguffe defende, porém, mudanças no Parlamento. “Ele precisa ser mais enxuto, reduzir o seu tamanho, ter menos parlamentares, menos assessores, acabar com verba indenizatória, com plano de saúde vitalício e aposentadoria para parlamentares, com carros oficiais”.

Decoro – Lembrou de um projeto de sua autoria que tramita na Casa que proíbe parlamentares de indicar pessoas para o Executivo e tipifica esse ato como quebra de decoro parlamentar.

Absurdos – “Os poderes têm que ser independentes. O Executivo formula e executa políticas públicas; o Legislativo legisla, fiscaliza e destina os recursos do Orçamento, que serão executados pelo Executivo; e o Judiciário julga. Não é porque esses poderes às vezes cometem absurdos que temos que defender o fechamento deles. Agora, esses absurdos precisam, sim, combatidos”.

Deixe um comentário