Águas Claras completa 10 anos

 

Águas Claras completa dez anos de fundação na segunda-feira, dia seis de maio. A cidade que mais cresceu no Distrito Federal e já foi considerada o maior canteiro de obras a céu aberto da América Latina tem muito o que comemorar! Seus mais de 160 mil moradores ainda se adaptam ao acelerado processo de expansão populacional, associado a um impressionante crescimento econômico, principalmente no comércio e na gastronomia. Durante o todo o mês, a programação comemorativa vai oferecer muita música, esporte e diversão. Ao chegar aos dez anos, Águas Claras já ostenta o título de endereço preferido dos jovens brasilienses – solteiros o recém-casados. Nesta entrevista exclusiva ao Brasília Capital, o administrador regional Carlos Sidney fala de suas prioridades, projetos e desafios.

Brasília Capital – Quais os maiores desafios da cidade?

Carlos Sidney – Os grandes desafios surgem com a própria construção da cidade. Águas Claras é um dos maiores canteiros de obras do mundo e o grande volume de construções gera, inevitavelmente, alguns incômodos aos moradores. Resolver problemas resultantes da expansão da cidade é um dos maiores desafios para qualquer administração. Precisamos das obras e também precisamos atender a comodidade da população, enorme desafio que gera conflito de interesses.

BC Quais são as prioridades para 2013?

CS – Nossa grande prioridade é o trânsito. Minha preocupação é operar mecanismos que garantam maior fluidez ao tráfego, hoje um problema sério na cidade. Existe um projeto, em fase de estudos, a construção da Avenida Águas Claras, com o qual trânsito vai sair do Pistão Sul, em direção à Estrutural. É uma via de aproximadamente 10 Km que passa por cima da EPTG, entrando pelo Jockey Club até a Estrutural

BC – Como andam as obras de infraestrutura em Águas Claras neste ano?

CS – Seguimos as ordens do plano do governo. A Administração é apenas o elo aplicador dos projetos na cidade. Ouvimos sempre os moradores. As melhorias estão sendo implantadas e nossas prioridades são: 1) O respeito à lei de acesso à informação; acessibilidade de calçadas e rampas; 2) construção de três viadutos (um na Avenida Araçá, sobre a linha do Metrô, estimado em R$ 2,.7 milhões; outro na Avenida Araucárias, também sobre a linha do Metrô, avaliado em R$ 2,9 milhões; e o terceiro, igualmente sobre a linha do metrô, na Rua Ipê Amarelo, previsto para custar R$ 2,2 milhões); e 3) a revitalização da Avenida Brasília. Além disso, serão realizadas algumas compensações ambientais, feitas por empresas, nas quais se inclui a duplicação da Avenida Parque a Águas Claras.

BC– Existe previsão para a instalação de equipamentos públicos como escolas, postos de saúde, delegacias, quartel da Polícia Militar e do  Corpo de Bombeiros?

 CS – A cidade receberá cerca de R$ 150 milhões em obras e equipamentos públicos, incluindo o quartel da PM, que entrará em atividade agora em maio. Está em pauta, ainda, a construção do quartel dos Bombeiros, a instalação de duas escolas públicas para crianças de zero a 5 anos, nas QS 9 e 11, além de uma creche. As escolas estão em fase de licitação, e devem estar prontas para o próximo ano letivo. Na saúde, temos como prioridade a construção da Academia da Saúde, que será iniciada no segundo semestre e inaugurada até o final do ano, e a Unidade de Pronto Atendimento – UPA. Temos também o Centro de Referência (Cras), na QS 9, que passa por reforma e será reinaugurado no início do segundo semestre.

BC – Quais providências estão sendo tomadas para sanar as frequentes quedas de energia?

CS – O presidente da CEB nos garante que haverá o aumento da capacidade da subestação, por meio de uma reforma no setor que custará cerca de R$ 5 milhões.

BC – Existe algum projeto em andamento que verse sobre a ampliação do transporte público para Águas Claras?

CS – Além da construção dos abrigos para ônibus, estamos buscando junto ao DFTrans a implantação do Zebrinha, que deve funcionar na interligação da cidade ao metrô, com o intuito de minimizar o fluxo de veículos nas internas. Temos um grande projeto de implantação de ciclovias, que já está na Novacap, em ação preparatória.

BC Como estão as obras de captação de águas pluviais?

CS- Para solucionar em definitivo o problema da drenagem, estamos executando obras de captação de águas pluviais em muitas ruas, a exemplo das Avenidas Jequitibá, Araucárias, Flamboyant, Jacarandá

BC A administração tem parcerias com o Ibram e a Secretaria de Meio Ambiente para implantar melhoras no Parque Ecológico?

CS O Parque de Águas Claras, que completou 13 anos no dia 27 de abril, foi contemplado com a inauguração de várias obras, entre elas, a escola ambiental. Em parceria com o Ibram e com a Secretaria de Meio Ambiente, a preservação daquela área de preservação ecológica é uma de nossas prioridades.

BC – Qual é o perfil do morador de Águas Claras?

CS- Águas Claras não é somente a parte vertical. A Área de Desenvolvimento Econômico (ADE), representa 1/3 do PIB do DF. Areal e Arniqueiras também formam a cidade. O Areal ainda é o ponto da cidade com os mais altos índices de criminalidade. Ali, o combate às drogas tem sido efetivo. Constatamos, infelizmente, que os filhos dos próprios moradores estão envolvidos com as drogas no local. Águas Claras vertical, se sobressai, em relação à segurança, é uma das cidades mais seguras do DF. Em Arniqueiras, conseguimos controlar as ocupações irregulares. O setor é monitorado permanentemente pela PF. O morador dos três setores que formam a cidade é distinto.

Deixe um comentário