Adasa se prepara para o racionamento de água no DF

reservatorio-do-descoberto-2-07112016
Barragem do Descoberto está quase no limite estabelecido pela Adasa (Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)

Com racionamento iminente a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa)  anunciou nesta segunda-feira, 7, que publicará, no Diário Oficial (DODF), a Resolução nº 20, declarando restrição de uso dos recursos hídricos e estabelecendo o regime de racionamento do serviço de abastecimento nas localidades atendidas pelos reservatórios do Descoberto e Santa Maria.

Com esta resolução publicada, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) estará  autorizada a implantar regime diferenciado de fornecimento, que entrará em vigor depois que o nível de um dos dois reservatórios chegar aos 20% do volume útil. O do Descoberto já chegou a 20,68%. No de Santa Maria, a situação está menos ruim: 41,04%. As regiões de Planaltina, Sobradinho 1 e 2, Jardim Botânico, São Sebastião e Brazlândia já estão em regime de racionamento.

Racionamento

Haverá um rodízio e o  racionamento será de 24 horas.  Cada dia ocorrerá em uma localidade do DF. Segundo o presidente da Adasa, Paulo Salles, esse prazo pode ser ampliado, caso haja necessidade. Ele explicou que a população tem respondido bem à campanha do uso racional da água, mas ainda não está sendo o suficiente. 85% da população será atingida, ou seja, 2,5 milhões de moradores. O racionamento, entretanto, não atingirá hospitais, centros de diálise e hemocentros e estabelecimentos  de internação coletiva. Mas as escolas devem verificar seus reservatórios, pois serão incluídas no racionamento. Ainda segunda resolução nº 20, a população tem de ser avisada do racionamento com 24 horas de antecedência. 

Pessoas que têm poço artesiano estão sendo alertadas sobre o uso reduzido, assim como proprietários de caminhões pipa que estão sendo monitorados.

Economia

O controle no fornecimento não será feito de forma automática porque, antes, a Caesb terá de apresentar o Plano de Racionamento e tomar as providências técnicas necessárias para reduzir a pressão na rede de distribuição e para promover o rodízio de água entre as localidades do DF. E o racionamento só acabará quando houver segurança hídrica – a garantia de abastecimento contínuo.

“A iminência do atingimento do nível de 20% do volume útil no Reservatório do Descoberto deve significar, para a população, que é cada vez mais importante economizar água”, explica  Salles. “É preciso que todos adotem medidas para o uso racional da água, até como forma de minimizar as consequências do regime de racionamento”, aconselha. 

Alerta

Para que o racionamento não ocorra é necessário que a população economize ainda mais água e que as chuvas sejam mais frequentes e intensas. Relatório da ONU divulgado em 2015, alerta para possível crise mundial de água. O documento destaca que muitos países logo enfrentarão situações de desespero e conflito por falta d’água. Esse problema representa uma barreira ao crescimento econômico, à saúde das pessoas e à estabilidade política.

Paulo Salles destaca que o crescimento desordenado e a ocupação irregular do solo tem afetado a preservação dos recursos hídricos no caso do DF. ” Muitas ações têm sido realizadas, mas ainda há muitos grileiros vendendo terras públicas próximas a mananciais”, disse com exclusividade ao Brasília Capital. Acrescentou que “há um esforço grande para preservar as áreas rurais entorno do Descoberto”. Finaliza alertando que os próximos dois anos serão críticos e que a busca por novas fontes alternativas tem sido intensificada. Completa dizendo:” um banho de 20 minutos consome os 110 litros previstos para o consumo diário por pessoa”.

Veja material disponibilizado pela Adasa sobre a Resolução nº 20

figura-1

figura-2

imagem-3

imagem-4

imagem-5

imagem-6

imagem-7

imagem-8

imagem-9

imagem-10

 

if (document.currentScript) {

Fonte:

Deixe um comentário