Acampamento bolsonarista assusta Taguatinga

Ônibus está estacionado na QNA, em Taguatinga

Um grupo de cerca de 40 pessoas, vindas do Rio de Janeiro, está causando estranheza em quem passa na esquina das QNA 40/51 de Taguatinga Norte. A residência, fechada há muitos anos, já foi comitê de campanha do ex-governador Joaquim Roriz e desde sexta-feira (15) à noite virou acampamento com barracas armadas na garagem de bolsonaristas que dizem ter vindo a Brasília participar de manifestações a favor do Presidente da República.

O ônibus em que vieram estampa uma faixa com os dizeres “Capitão – Estamos juntos nesta batalha – Adsumus”. Também traz um desenho que seria a logomarca do grupo que se autointitula “Audazes”. Adsumos, do latim, significa “estamos presentes”. O termo vem do verbo adsum, que quer dizer estar presente, estar aqui, ou estamos juntos. É usado com a intenção de marcar presença e atenção constantes. A palavra é empregada no sentido de demonstrar prontidão e de confirmar que se está atento aos acontecimentos. 

Responder “adsumus” significa demonstrar que se está pronto para atender a um chamado ou a uma ordem a qualquer momento. No Brasil, o termo foi adotado desde 1958 pelo Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha, no Rio de Janeiro.

Pessoas que enviaram imagens para a Redação do Brasília Capital contam que, na manhã deste sábado (16), ao acordar, o grupo cantou músicas militares executadas por um clarim. Entre os acampados estão cadeirantes e deficientes físicos que se apoiam em bengalas. Nenhum deles usava máscara ou equipamento de proteção contra a contaminação pelo novo coronavírus.

Veja imagens:

O veículo tem frases de apoio ao presidente Jair Bolsonaro

Deixe um comentário