A velocidade está de volta!

Tem gente que diz que brasileiro não gosta de esporte, gosta mesmo é de ganhar. Exageros à parte, não há dúvida de que a Fórmula 1 dos tempos atuais não tem, para a torcida tupiniquim, o glamour da era Ayrton Senna e Nelson Piquet. Nem poderia ser diferente.

Mesmo assim, a velocidade ainda tem muitos adeptos por aqui, notadamente em Brasília. O último final de semana marcou o retorno da Fórmula 1, com o primeiro Grande Prêmio da temporada, na terra dos cangurus. Como é de praxe, chegou a hora das previsões dos futurólogos de plantão.

Vettel e Alonso são os favoritos de sempre. O espanhol mais do que nunca, até porque a Ferrari se mostra bem mais confiável do que nas últimas temporadas. Massa mostrou uma grande evolução, principalmente no que diz respeito à confiança. Largou à frente de Alonso, segurou o espanhol na largada e manteve-se na dianteira até o segundo pitstop. Já foi um grande feito, mas insuficiente para se imaginar alguma disputa com o Príncipe das Astúrias, que é o melhor piloto da categoria e tem todo o time trabalhando a seu favor. O brasileiro é o fiel escudeiro, e ponto.

Felipe, aliás, fez declarações lamentando erro de estratégia que o fez perder algumas posições. Ou seja, mais do mesmo. Se o quarto lugar obtido na primeira prova se repetir algumas vezes, intercalado com um ou outro pódio, a temporada de Massa já terá valido a pena e ele poderá sonhar com uma renovação contratual para 2014.

A Mercedes está muito rápida, mas seus carros carecem de durabilidade. Hamilton só não deve estar arrependido pela troca de escuderia porque o início da Mclaren também não é dos mais promissores.  A dupla Lotus/Raikkonen, que já deu trabalho em 2012, voltou ainda mais consistente  , e promete dar muito trabalho aos favoritos. O Homem de Gelo declarou que sua vitória na corrida da Austrália foi a mais fácil da carreira.

Numa temporada carente de brasileiros – o patrocinador do talentoso Luís Razia não pagou a conta e sua escuderia, a pequena Marussia, demitiu o baiano – resta torcer para que Felipe Massa não repita o fiasco das últimas temporadas, e que o título seja decidido mais uma vez em Interlagos. Vale lembrar que a última vez em que o Brasil teve apenas um representante na categoria foi há longos trinta e cinco anos.

Já neste domingo, 24, tem mais, com o GP da Malásia. E haja despertador, até porque as quatro primeiras provas são do outro lado do mundo – a primeira na Oceania e as três seguintes na Ásia – o que requer muita disposição para quem quiser acompanhar as provas ao vivo.

Deixe um comentário