A repercussão do discurso de Bolsonaro na ONU

Brasília Capital mostrou os principais pontos do discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira (24).

Minutos depois já era possível observar uma repercussão negativa nas redes. Adjetivos como “alucinação ideológica” e “Vexame” ficaram entre os mais citados entre os internautas.

Memes começaram a circular após as falas do presidente. Em um deles, Angela Merkel, chanceler da Alemanha, aparece dormindo durante o discurso do presidente brasileiro.

Foto: Reprodução

Autoridades nacionais e internacionais também se manifestaram a respeito das falas de Jair Bolsonaro.

O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez Parrilla afirmou:
“Rejeito veementemente a calúnia de Bolsonaro sobre #Cuba e cooperação médica internacional. Delírio e saudade dos tempos da ditadura militar. Deveria se ocupar com a corrupção em seu sistema de justiça, governo e família. É o líder do aumento da desigualdade no Brasil”

O colunista Ishaan Tharoor, do jornal americano Washington Post, postou em sua rede:
“Bolsonaro ataca seus antecessores que foram “todos aplaudidos” quando chegaram á ONU e fizeram discursos “totalmente desengajados”. Ele tem plena consciência de quanto a comunidade internacional o vê de maneira negativa.”

O ministro da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento da Suécia também comentou o discurso:
“Bolsonaro abre o debate na ONU. Ele está bravo. Mas nem uma palavra sobre a crise climática ou os problemas dos incêndios na Amazônia. A raiva dele está nos países ocidentais pelo foco no que está acontecendo no Brasil.”

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, criticou o presidente da República “Primeiro, inadequado. Segundo, inoportuno. Terceiro, sem referências que pudessem trazer respeitabilidade e confiança ao Brasil no plano ambiental, no plano econômico e no plano político. Quarto, péssima repercussão internacional.”

O pastor e Deputado Federal pelo Estado de São Paulo, Marco Feliciano (PSC) apoiou o discurso do presidente, afirmando:
“Depois do histórico pronunciamento do PR Jair Bolsonaro no dia hoje, próprio de um estadista, feito diante da Assembleia Geral das Nações Unidas, nosso Brasil entrou definitivamente para o grupo das nações que ditam os rumos da humanidade! Viva o Brasil!”

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que foi citado no discurso de Jair Bolsonaro, também comentou em sua rede social, anexando uma postagem do próprio presidente brasileiro:
“Discurso assertivo na ONU, pontos essenciais, soberania, liberdade, democracia, abertura econômica, preservação da Amazônia, oportunidades e desenvolvimento para a população brasileira.”

Deixe um comentário