A maior obra do Distrito Federal

Governador Ibaneis Rocha tira do papel o túnel de Taguatinga após 12 anos. Foto: Divulgação

Doze anos depois de ser planejado – o projeto original é de 2008, no início do governo de José Roberto Arruda, com recursos captados, à época, da Caixa Econômica Federal pelo ex-senador Gim Argello, ambos afastados da vida pública por envolvimento em esquemas de corrupção –, começou a sair do papel, no dia 14 de janeiro, a obra do túnel de Taguatinga, com a assinatura da Ordem de Serviço pelo governador Ibaneis Rocha (MDB).’’

Na terça-feira (5), o secretário de Obras e Infraestrutura, Luciano Carvalho, anunciou a finalização do canteiro de obras e a instalação das muretas que vão receber as paredes do túnel. Assim, as escavações terão início na segunda-feira (10). “A partir de agora o ritmo de trabalho vai acelerar. As mudanças serão diárias. Estaremos de perto acompanhando”, disse. “Apesar dos transtornos do momento, os moradores de Taguatinga e região serão os maiores beneficiados dentro de pouco tempo”, completou.

Por questão de ajustes ao novo orçamento (são R$ 275,7 milhões, também emprestados pela CEF com contrapartidas do Governo do Distrito Federal), a extensão do túnel foi reduzida. Anteriormente, ele começaria antes do viaduto, na entrada da cidade, na EPTG, e sairia após o viaduto da Samdu, na Avenida Elmo Serejo.

O consórcio Novo Túnel é o responsável pela execução. A previsão é a de que a obra seja concluída em 24 meses. Foto: Divulgação

Agora, com 1.010 metros de extensão, terá 830 metros cobertos, com áreas de emboque de 180 metros nas duas extremidades. A área coberta se estenderá por toda a Avenida Central. No sentido Ceilândia, o emboque começa em frente ao edifício Taguatinga Trade Center, na C-1. No sentido Plano Piloto, o emboque começa antes do viaduto da Samdu. No sentido inverso, a saída será logo após o mesmo viaduto.

A previsão é a de que a obra seja concluída em 24 meses. O consórcio Novo Túnel, responsável pela execução, está fazendo a licitação para contratar uma empresa especializada, que ficará responsável pela supervisão de todo o trabalho.

Fim dos engarrafamentos

Os primeiros meses da obra serão para escavação e escoramento da estrutura. Foto: Divulgação

Transitam, diariamente, pelo local 125 mil veículos. O túnel vai desafogar o trânsito, uma vez que os veículos que se deslocam de Ceilândia, Samambaia e parte de Taguatinga Norte em direção ao Plano Piloto não precisarão passar pelo centro da cidade. Eles mergulharão no túnel e sairão na EPTG. No sentido contrário, o motorista sai da EPTG, desce pelo túnel e sai na Via Estádio.

Os primeiros meses da obra serão para escavação e escoramento da estrutura. O objetivo da empresa é não interromper o trabalho mesmo no período chuvoso. Para prevenir acidentes, o consórcio vistoriou todos os edifícios no entorno da obra. “Estaremos atentos para entrar em ação caso haja qualquer avaria nessas edificações nesse período”, diz a assessoria da Secretaria de Obras e Infraestrutura.

Enquanto as obras estiverem em andamento, serão mantidas as alterações no trânsito implantada em julho. Os desvios já estão plenamente sinalizados para orientação de pedestres, motoristas e usuários de transporte coletivo.

Projeto do boulevard arborizado. O foco será nas pessoas e no comércio. Arte: GDF

BOULEVARD – O centro de Taguatinga será, inteiramente, remodelado. Surgirá um boulevard arborizado, com uma paisagem diferente. O foco será nas pessoas e no comércio. As calçadas serão revitalizadas e os estacionamentos ampliados.

O fluxo na Avenida Central concentrará veículos do transporte público e de pessoas interessadas no comércio e no lazer do centro, que se tornará ainda mais vibrante e moderno, com valorização imobiliária e comercial.

O túnel faz parte do Corredor Eixo Oeste, principal projeto viário para a região sul do DF. Com 38,7 Km de extensão (do Sol Nascente, em Ceilândia, ao Eixo Monumental e Estação Asa Sul, no Plano Piloto), ele inclui o alargamento do viaduto da EPCT com a EPTG, inaugurado em janeiro, a revitalização da avenida Hélio Prates e a construção do Viaduto da Estrada Parque Indústria Gráficas (EPIG), entre o Sudoeste e Parque da Cidade.

GDF enfrenta desafios jurídicos

Ao assinar a ordem de serviço para início dos trabalhos, o governador Ibaneis Rocha lembrou que a obra é essencial na estratégia de mobilidade urbana do DF. “Por muito tempo, o projeto do Corredor Eixo Oeste ficou engavetado, refém de decisões judiciais. Nós enfrentamos os desafios, resolvemos os problemas jurídicos, asseguramos os recursos orçamentários e vamos construir, o túnel de Taguatinga, talvez a obra mais simbólica desta gestão”, afirmou o chefe do Executivo.

A Secretaria de Obras ressalta que uma intervenção como esta traz transtornos que vão exigir mais cuidado dos moradores. “Tudo foi planejado para que haja uma redução no incômodo. Nos primeiros meses, técnicos da Secretaria de Mobilidade, do Departamento de Trânsito (Detran) e do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) estarão observando e buscando minorar o impacto no trânsito”, diz o secretário Maurício Canovas.

SAIBA+

Trecho de 1,3km será interditado durante a construção. Foto: Divulgação

Durante a construção do túnel será interditado um trecho de 1,3 km. O trânsito foi modificado com desvios, pequenas obras de tráfego, instalação de semáforos e sinalização. A obra, orçada em R$ 275,7 milhões, vai consumir oito mil toneladas de aço; 90 mil m³ de concreto; 200 mil m³ de terra movimentada; escavação subterrânea de 160.000 m³, contenções em parede diafragma de 65.000 m² de concreto.

Deixe um comentário