A dieta detox…

O conceito de “limpeza do organismo” e detoxificação (ou destoxificação) tem sido muito estudado nos últimos anos devido à alta toxicidade proporcionada pela água e por alguns alimentos. As toxinas geram danos ao organismo de maneira cumulativa e podem alterar nosso processo metabólico normal.

Mesmo indivíduos com níveis de intoxicação moderada podem já apresentar alguns sintomas, tais como, dores de cabeça, fadiga, dores musculares, constipação intestinal, coordenação motora alterada e até alguns quadros de depressão já foram descritos pela literatura.

A detoxificação consiste na retirada de substâncias tóxicas do organismo que ocorre principalmente pelo intestino e fígado. Essas substâncias tóxicas, chamadas de xenobióticos, podem estar relacionadas com a dificuldade em emagrecer, acne e algumas infecções.

Alimentos como o chá verde, alecrim, alho e cebola, frutas cítricas, frutas vermelhas, oleaginosas, cereais integrais e leguminosas, soja, peixes, e alimentos de origem orgânica, preferencialmente, possuem propriedades benéficas ao processo de detoxificação. Os vegetais brássicos, como o repolho, brócolis e couve, modulam a biotransformação dos xenobióticos e podem influenciar a toxicidade e carcinogenicidade de químicos ambientais. A curcumina, presente no açafrão da terra, apresenta potentes efeitos antioxidantes, antiinflamatórios e antimutagênicos. Os flavonóides e ácidos fenólicos do alecrim apresentam elevada potência antioxidante.

A utilização da dieta detox deve ser feita de maneira progressiva. É importante a conscientização do indivíduo, para que esse padrão alimentar faça parte da sua rotina diária, mantendo os resultados benéficos a longo prazo. Os nutricionistas funcionais são os mais indicados para a prescrição desse tipo de dieta.

Fonte:

Deixe um comentário