​Você é um ser em missão

Você não nasceu por acaso. Você nasceu por uma causa. As condições em que você foi gerado podem, aparentemente, ter sido por acaso, mas você, enquanto espírito que encarnou em um corpo físico, já existia e veio fazer um aprendizado e cumprir uma missão para beneficiar e beneficiar-se, de acordo com os critérios de merecimento, necessidade e capacidade.

Os desvirtuamentos que possam acontecer correm por sua conta. Segundo André Luis, “a cada um foi dado algo diferente para que haja intercâmbio, e daí surja o amor”.

Você não nasceu numa família rica para humilhar e explorar o pobre. Você nasceu nessa condição para colaborar e elevá-lo. A função do superior é elevar o inferior. Tudo tem função sábia oculta.

O rico ajudando o necessitado desenvolve solidariedade e compaixão. O pobre recebendo, desenvolve humildade e gratidão. 

Você tem o livre arbítrio para não ajudar o necessitado ou mais necessitado que você, mas, assim, você criará um carma, e será arrastado para a situação idêntica à dele, porque você descumpriu a Lei de Solidariedade e de Progresso.

Isto não é resultado de um Deus que castiga, mas da Lei de Retorno,que age para corrigir e humanizar os seres indiferentes ou maus.

Não obstante, nem tudo é carma. Há pobres, cegos, aleijados, feios, negros, doentes que pediram esta condição para se aprimorarem. Vida é plantação e colheita. Todo abuso cometido tornar-se-á carência no futuro. Abuso no passado, carência no presente. Abuso no presente, carência no futuro.

Você não é o corpo. Você é um espírito eterno temporariamente habitando um corpo de carne, em missão, aprendendo, realizando. Aceite seu corpo. Aceite-se.  Esse é o corpo que Deus lhe deu. Você deve cuidar dele. 

Trata-se de um mecanismo tão bonito, que permanece ativo durante muitas décadas, continuamente. Esteja dormindo ou acordado, consciente ou não, seu corpo funciona em total silêncio. Seja grato. 

“Somos todos visitantes deste tempo, deste lugar. Estamos só de passagem. Nosso objetivo é observar, aprender, crescer e amar… E depois vamos para casa”.

Deixe um comentário