​Bancada do DF defende o Sistema S

Apenas a deputada Bia Kicis (PSL) é a favor do corte de 50% no orçamento de instituições do chamado Sistema S. Foto: Câmara dos Deputados

​Dos oito representantes do Distrito Federal na Câmara Federal, apenas a deputada Bia Kicis (PSL) é a favor do corte de 50% no orçamento de instituições do chamado Sistema S, que inclui, entre outros, o Serviço Nacional do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Os três senadores locais devem se posicionar oficialmente nesta quarta-feira (29). No entanto, Izalci Lucas (PSDB), José Antônio Reguffe (Podemos) e Leila Barros (PSB) já sinalizaram para dirigentes da Federação do Comércio do DF que votarão contra a Medida Provisória 907/2019.

Fontes consultadas pelo Brasília Capital disseram que Bia Kicis não apresentou uma justificativa para apoiar a retirada de 50% dos recursos do Sistema, o que pode acarretar na suspensão de vários serviços prestados à sociedade, além de milhares de demissões de trabalhadores em Brasília e em todo o País.

“Ela vota fechado com tudo que o governo propõe. Esta MP é uma questão ideológica de Paulo Guedes contra o Sistema S mesmo antes de ele se tornar Ministro da Economia. E a Bia Kicis acompanha cegamente as determinações do governo, sem observar os prejuízos que isto pode causar a milhares de pessoas”, avaliou outro dirigente.

Foto: Divulgação/Fecomércio

Hipotecaram apoio ao Sistema S contra a MP 907, os parlamentares brasilienses Celina Leão (Progressistas), Erika Kokay (PT), Flávia Arruda (PL), Júlio César Ribeiro (Republicanos), Luís Miranda (DEM), Paula Belmonte (Cidadania) e Professor Israel Batista (PV).

Deixe um comentário