Tratamento psicológico de vítimas da ditadura

O governo decidiu prestar atendimento psicológico às vítimas da ditadura e atingidos por atos de exceção, assim como a seus familiares. A Comissão de Anistia acaba de criar 702 vagas em cinco clínicas especializadas em tratamentos desse tipo de transtorno. São núcleos de apoio a ex-militantes políticos que foram perseguidos, presos e torturados e também a seus parentes, que sofreram as consequências da ação do Estado. O tratamento será individual ou em grupo e poderá durar até dois anos.

O projeto foi batizado “Clínicas do Testemunho” e irá investir R$ 600 mil nesse atendimento. As clínicas foram escolhidas após licitação, e o resultado foi publicado na quarta-feira no Diário Oficial. As inscrições, abertas ontem, seguem até 6 de abril

Fonte: Jornal O GLOBO

Sites e Blogs

Deixe um comentário