TRANSFORMANDO MÁGOA EM GRATIDÃO

 

Nada mais miserável para um ser humano do que a perpetuação da miséria pela alimentação da lembrança. Pais ricos que passaram fome contam, constantemente, com tristeza, dos tempos da privação. Outros que estudaram em escolas públicas, lamentam a qualidade da escola. E ainda aqueles que apanharam dos pais na infância e mantêm a mágoa geradora de câncer.

Alguns ingerem alcoólicos somente para lembrar do passado. Catalogados pela Psicologia como vítimas e coitadinhos, no fundo, adoram falar sobre o passado para que as pessoas sintam pena deles. A piedade dos outros dá-lhes prazer. Pasmem: prazer. Quanto mais demonstrarem piedade, mais prazer sentirão. Vejam. Avaliem. Imaginem o quanto sofri!

Quando morrem, é um alívio para os familiares, principalmente se a doença foi de longo curso. Se enfermos, exigem atenção constante, porque se acham ótimos pais e requerem gratidão na forma de atenção. Pobres coitados. Não aprenderam que o prazer real deve vir pela superação que serve de exemplo.

Quando aprendemos com as dificuldades, tornamo-nos mais humanos e este é o objetivo da vida. Nascemos apenas como projetos de gente. Tornar-se é a meta. Alcançado, a mágoa torna-se gratidão. “Vim, vi e venci”, como dizia Júlio César.

Fonte:

Deixe um comentário