Sócios de boate e músicos ficarão mais 30 dias presos

A Justiça do Rio Grande do Sul concedeu a prorrogação da prisão temporária dos dois sócios-proprietários da boate Kiss e de dois músicos da banda Gurizada Fandangueira por mais 30 dias. A polícia havia feito as detenções na segunda-feira para evitar que provas do incêndio na boate, que matou mais de 230 pessoas, fossem alteradas, e testemunhas, corrompidas. O prazo da prisão temporária acabava na sexta-feira (1).
O pedido de prorrogação da prisão foi feito pela polícia e teve o parecer favorável do Ministério Público. De acordo com o juiz plantonista Regis Adil Bertolini, da Comarca de Santa Maria, onde ocorreu a tragédia, o delegado apresentou novas declarações de testemunhas, que indicaram que o comportamento dos quatro envolvidos – os empresários Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Hoffman, o vocalista da banda, Marcelo de Jesus dos Santos, e o produtor Luciano Augusto Bonilha Leão – pode ter dado causa a homicídio qualificado por asfixia, assumindo o risco de ter causado as mortes.
Fonte: Veja Online
Extratos dos Jornais

Deixe um comentário