Segurança reforçada para votação do impeachment

Brasília - Manifestantes contrários ao impeachment da presidente afastada, Dilma Roussef, protestam na esplanada dos ministerios (José Cruz/Agencia Brasil)
Manifestantes anti-impeachment protestam na Esplanada. Foto: José Cruz/Agencia Brasil

Com um muro dividindo a Esplanada dos Ministérios em ala pró e contra o impeachment, a segurança nos arredores do Congresso Nacional foi intensificada hoje (30) para os momentos finais do processo que poderá levar a presidente afastada Dilma Rousseff a deixar a Presidência da República. Mais de 1.300 policiais militares devem fazer a segurança da região central de Brasília.

Desde ontem, as vias principais – que levam ao Congresso Nacional, ao Palácio do Planalto e ao Supremo Tribunal Federal – estão fechadas para o trânsito e assim ficarão até o final da votação, prevista para amanhã. A Praça dos Três Poderes está aberta para pedestres. No entanto, manifestantes só podem fazer atos na Esplanada nas alas específicas de grupos favoráveis e contra o  impeachment. A expectativa do Governo de Brasília é que hoje (30) cerca de 30 mil pessoas compareçam à Esplanada dos Ministérios para acompanhar o julgamento.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, foram apreendidas hastes de bandeiras para evitar que o material seja usado como arma, como já aconteceu em manifestações anteriores. Fora isso, não há registros de ocorrências.