Rollemberg faz entrega de 58 lotes a moradores do Sol Nascente

Rollemberg (centro): “É uma alegria muito grande realizar o sonho dessas famílias”.  Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Mais 58 lotes no Sol Nascente, em Ceilândia, foram entregues nesta terça-feira (5) pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. As áreas ficam no Trecho 1 e beneficiam pessoas que tiveram de ser removidas ou realocadas para a execução de obras de infraestrutura no local. Os terrenos ficam nas quadras 102 e 601 e contam com pavimentação, abastecimento de água, esgotamento sanitário, energia e iluminação pública.

“É uma alegria muito grande realizar o sonho dessas famílias de morar em uma cidade regularizada, com infraestrutura, calçamento, rede de esgoto e água encanada”, disse o chefe do Executivo local. A entrega faz parte do Lote Legal, eixo do programa Habita Brasília, que oferta, a preços bem abaixo do mercado, lotes urbanizados e regularizados para pessoas físicas inscritas no cadastro da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab).

Os contemplados de hoje são decorrentes de reassentamento e não pagarão pelos lotes. Terão direito, sem custos, ao projeto arquitetônico da casa a ser construída e a acompanhamento, pela equipe de arquitetos da Codhab, durante toda a construção.

Um deles foi Maike Jonathan de Jesus Araújo, de 26 anos. “A gente nem imaginava que poderia alcançar esta vitória. A gente sofreu muito, mas graças a Deus conseguimos superar”, disse o ajudante de gesseiro. “Este é o meu futuro, o futuro da minha família, do meu filho.”

Antes da cerimônia de entrega dos documentos, o governador visitou outras áreas do Sol Nascente, como a Vila Madureira e o Condomínio Novo Horizonte.

Obras de infraestrutura

O Sol Nascente recebe, desde 2015, asfalto, redes de águas pluviais e equipamentos públicos diversos. Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, a urbanização do setor habitacional vai beneficiar cerca de 95 mil moradores.

O investimento é de R$ 220,3 milhões. Setenta e cinco por cento desse dinheiro é proveniente de financiamento com a Caixa Econômica Federal, e os outros 25%, de contrapartida do governo de Brasília.

Com previsão de entrega para o fim deste ano, no Trecho 1, há obras de infraestrutura que englobam:

  • Conclusão de 25,2 quilômetros de redes de drenagem
  • Cinco lagoas de detenção
  • Pavimentação de 304,9 mil metros quadrados de vias

As intervenções no Trecho 2, previstas para serem entregues no primeiro semestre de 2018, compreendem:

  • Execução de 30,3 quilômetros de redes de drenagem
  • Construção de três lagoas de retenção
  • Pavimentação de 493,5 mil metros quadrados de vias

No Trecho 3, o contrato prevê:

  • 21,3 quilômetros de redes de drenagem
  • 3 lagoas de retenção
  • 450,5 mil metros quadrados de pavimentação

Os custos para os Trechos 1, 2 e 3 são, respectivamente, R$ 58,8 milhões, R$ 95,5 milhões e R$ 66 milhões.

Deixe um comentário