Revitalização de 5 quilômetros de canais reduz perda de água no Descoberto

 

 

Dois dos sete canais na região do Alto Descoberto, em Brazlândia, já foram revitalizados e têm água tubulada. A medida reduz as perdas, moderniza o uso dos recursos e integra o conjunto de ações a serem tomadas no programa Brasília Capital das Águas. Os canais são o Guariroba e o Cristal, que somam quase 5,5 quilômetros de extensão. Haverá um total de 22 quilômetros tubulados — os próximos são os Córregos do Índio, Olaria 2ª etapa e Capão Comprido 1 e 2.
“A intervenção do governo é para usar menos água na agricultura para ter mais disponibilidade para a área urbana. Quando tubulamos os canais, economizamos pelo menos 50% dos recursos hídricos”, disse o secretário da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, Argileu Martins. Com a tubulação, diminui-se a infiltração de água na terra, bem como a evapotranspiração. “Como a água ficava mais espalhada, infiltrava e se perdia na terra. Agora, temos menor gasto e sobra mais”, acredita a produtora rural Antônia Bezerra Gonçalo, de 54 anos.

O governo estima uma economia de até 126 litros por segundo de água com os seis canais. Os recursos para compra dos tubos foram garantidos por emenda parlamentar do deputado distrital Juarezão (PSB), no valor de R$ 400 mil.

Fundo internacional

O sétimo canal é o do Rodeador. São 32 quilômetros a serem revitalizados, com uma economia de água estimada em até 170 litros por segundo. Para viabilizar o trabalho, o governo tenta captar recursos do Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata). Serão US$ 41,1 milhões (cerca de R$ 130 milhões) para o Brasília Capital das Águas.

Para conseguir o dinheiro do fundo, o governo precisa aprovar o Projeto de Lei nº 1.762, de 2017, na Câmara Legislativa. Os recursos do Brasília Capital das Águas serão destinados a três grandes frentes de atuação: o incentivo ao uso sustentável da água na atividade agropecuária da região do Descoberto; a implementação de infraestrutura urbana e recuperação de áreas degradadas na orla do Lago Paranoá; e a gestão do próprio programa.

Como funciona

O programa Brasília Capital das Águas tem como objetivo proteger os principais mananciais do Distrito Federal que se encontram fora do Parque Nacional de Brasília, onde fica o Reservatório de Santa Maria. A Casa Civil e a Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural são as unidades executoras do programa.

Com a revitalização dos sete canais, o rio Descoberto vai ter um incremento de até 126 litros por segundo de água na captação. Com todas as ações previstas com o dinheiro do Fonplata, essa economia chega a 747 litros por segundo. As outras medidas são:

  • Projetos específicos para cada propriedade: técnicos vão avaliar o uso da água de cada produtor rural e apontar como o recurso hídrico pode ser mais bem aproveitado. Só com esse trabalho, o governo estima que a economia de água fique em 128 litros por segundo
  • Conversão de sistemas de irrigação convencional em poupadores de água: o programa prevê a substituição de aspersores pela irrigação por gotejamento. O gasto com água pode cair até 296 litros por segundo
  • Revitalização do Canal do Rodeador: permitirá a retirada de água com mais controle e menos desperdício, o que acarretará uma redução de 170 litros por segundo da água captada no canal
  • Revestimento de reservatórios de água nas propriedades rurais: tanques de armazenamento dos produtores receberão reforço de impermeabilização para diminuir a quantidade de água que se perde por infiltração na terra. A economia potencial é de até 27 litros por segundo.

No Lago Paranoá, o trabalho atende à decisão da Justiça, que determinou a recuperação de áreas degradadas e a implementação de infraestrutura para uso público ao longo da orla.

Os recursos vão permitir a revitalização da Concha Acústica; a interligação do Deck Norte, via Trevo de Triagem Norte, com o Parque Vivencial do Lago Norte; a ligação do Deck Sul ao Lago Sul na Ponte das Garças por ciclovias e calçadas; entre outros projeto

Fonte:

Deixe um comentário