Reforma do Museu de Arte

A reforma do Museu de Arte de Brasília (MAB) começará este mês e o projeto prevê manutenção da fachada, mas mudanças internas, com a construção de um auditório, área de conveniência e adequação do subsolo de acordo com as normas internacionais.

“Essa obra vai ficar na faixa de R$ 3,5 milhões a R$ 4 milhões, no máximo, tudo com recursos do GDF”, disse hoje, o subsecretário do Patrimônio Histórico da Secretaria de Cultura, José Delvinei, durante apresentação do projeto no 2º Encontro do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do DF (CAU/DF).

A ideia é abrir a área do subsolo de forma a tornar o setor arejado e habilitado para proteger o acervo do MAB, que hoje está acondicionado no Museu Nacional de Brasília – “São mais de mil peças de um acervo de Arte Contemporânea composto de todas as áreas, todas as tendências de artes visuais”, disse.

O subsecretário explicou que o prédio não é tombado, mas que a secretaria considerou importante manter a fachada pelo valor cultural que a obra representa para a sociedade.

Para o presidente do CAU/DF, Alberto de Faria, a reforma representará mais uma possibilidade de trazer grandes exposições para o DF.

“Hoje você tem grandes artistas e grandes mostras que percorrem o mundo inteiro, basicamente em centros públicos também, como é o caso do CCBB, mas o próprio DF não tem um espaço seu para promover a visitação ou mostrar a cultura e a memória de Brasília”, ponderou.

“A reforma do MAB é uma devolução para a sociedade de um patrimônio simbólico e extraordinário, que foi construído ao longo dos seus 50 anos da história de Brasília e teve ciclos de apogeu, de vibração e ciclo de ostracismo, períodos obscuros porque a sociedade não se apropriava”, comentou o secretário-geral da Federação Nacional dos Arquitetos, Antônio Menezes Jr.

PATRIMÔNIO – A reforma do MAB é mais uma etapa do plano de recuperação do patrimônio cultural do DF, iniciado em 2011, com a reforma do Catetinho.

“Até o final do ano nós vamos ter mais doze obras em andamento, de recuperação do patrimônio”, anunciou o subsecretário, que lembrou que este mês será reinaugurado o Cine Brasília.

Delvinei explicou que o déficit em cultura era de aproximadamente R$ 200 milhões em 2010, início da gestão do governador Agnelo Queiroz e que este ano, a secretaria atingirá R$ 50 milhões de investimentos.

PROJETO – O projeto arquitetônico prevê sala multiuso, laboratório de restauração, sala de serviço, um espaço aberto com 1.005m², que abrigará o Parque de Esculturas, biblioteca e sala de vídeo entre outras melhorias.

Fonte:

Deixe um comentário