Recurso do MP contra atropelador da Paulista é negado

Bicicleta no local onde o ciclista foi atropelado na manhã deste domingo (10), na Avenida Paulista

Alex Siwek está preso preventivamente; advogado já entrou com pedido de habeas corpus (Nelson Antoine/Fotoarena)
O desembargador Breno Guimarães indeferiu nesta terça-feira o pedido de mandado de segurança apresentado pelo Ministério Público, com o objetivo de suspender a decisão que tirou do Tribunal do Júri a competência de julgar o estudante de psicologia Alex Siwek, de 21 anos, que atropelou o operador de rapel David Santos Sousa, também de 21 anos, no dia 10 de março, na Avenida Paulista. Sousa conduzia sua bicicleta na ciclofaixa e, devido ao forte impacto, teve o braço direito decepado. O motorista fugiu sem prestar socorro e jogou o braço de David em um córrego.  
Com a decisão, a definição sobre qual tribunal julgará Siwek será conhecida por uma turma julgadora do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), composta por três desembargadores. O TJ informou não haver ainda previsão de quando será analisado o mérito. Siwek está preso preventivamente em unidade prisional no interior de São Paulo, mas o advogado de defesa entrou com pedido de habeas corpus. Justiça deve levar quinze dias para avaliar o pedido.
O Ministério Público defende que Siwek deve responder por crime doloso – quando há intenção ou se assume o risco de causar dano a alguém.
Fonte: Veja Online
Extratos dos Jornais

Deixe um comentário