Que venha o Olimpia!

O Independência presenciou mais um jogo histórico dessa Libertadores e dos últimos tempos, que contou com gol no final da partida e vitória na decisão por pênaltis. Como não poderia deixar de ser, o time mineiro contou com a sorte de campeão que havia possibilitado que o time passasse de fase contra o Tijuana. Se é que podemos classificar como sorte algum milagre do goleiro Victor, que vem sendo o melhor goleiro em atividade no Brasil nesse ano, ou um gol no final da partida de um time tão qualificado. É o Brasil na final.

Precisando tirar a vantagem de dois gols do jogo ida na Argentina, sem poder sofrer nenhum, os brasileiros tiveram o melhor começo de partida possível. Na primeira investida, com 2 minutos de partida, Ronaldinho lançou Bernand e o meio fuzilou para o fundo do gol. O time mineiro cresceu com o gol, porém não transformou o estádio inflamado em uma vantagem no placar. A melhor chance da primeira etapa foi perdida por Josué, de frente pro goleiro. Os atendimentos médicos em Heinze e Guzmán acabaram esfriando o ímpeto dos anfitriões, já que o árbitro precisou dar 9 minutos de acréscimo devido às paralisações.

A segunda etapa foi dividida em dois tempos distintos, o antes e o depois do “apagão”. No começo da partida, a equipe de Cuca foi totalmente dominada pelos argentinos, que ditavam o ritmo de jogo e levavam perigo nos contra-ataques. Até que os refletores se apagaram e o jogo foi paralisado em 10 minutos. Na volta, Cuca mexeu na equipe e colocou Alecsandro e Guilherme, daí em diante começou o bombardeio mineiro. Guilherme perdeu uma chance, porém, logo em seguida, imendou um chute sem defesa para o goleiro, 2 a 0. Em seguida, Ronaldinho e Luan também tiveram chances, porém a decisão foi para os pênaltis.

Não faltou emoção também nas cobranças de pênaltis. Jô e Richarlyson mandaram para fora suas cobranças, porém, em seguida, Casco e Cruzado perderam para o Newell’s. Na cobrança final, Ronaldinho Gaúcho marcou, colocando todo peso do mundo nas costas do craque argentino Maxi Rodríguez. Victor defendeu e colocou seu time na final contra o Olimpia. Um baile contra o São Paulo no Independência, pênalti agarrado no último minuto contra o Tijuana e gol de Guilherme no final da partida empatando o jogo contra o Newell’s Old Boys. Sinais contundentes de que o Galo vai ser campeão não falta.

Por Gustavo Goes

Fonte:

Deixe um comentário