Qual a melhor forma para fazer uma prova de português?

Ao longo desta semana, muitos alunos e leitores me perguntaram qual é a melhor forma para fazer uma prova de língua portuguesa em um concurso público. Durante o meu tempo em sala de aula – e já são dez anos – pude experimentar diversas maneiras de melhor distribuir uma prova, pensando em maior quantidade de acertos em menor tempo. Vou revelar neste artigo a minha atual metodologia:

  1. Ao receber a prova, faça uma oração (um clássico, certo?)!
  2. Primeiramente, leia a proposta de redação discursiva, para que você tome conhecimento do assunto que será exigido na etapa de produção de texto. Além disso, é muito comum que a própria prova apresente textos ou questões que podem colaborar com a construção de ideias. Todavia, em hipótese alguma, inicie a prova já redigindo o texto. Quem faz isso costuma perder muito tempo, por pensar que ainda faltam muitas horas para o término da prova.
  3. Ao chegar à prova de língua portuguesa, faça um mapeamento das questões, dividindo-as em três grupos: redação oficial (quando houver), gramática e análise de textos. E você vai resolver as questões exatamente nessa ordem.
  4. Comece por redação oficial, pois é um conhecimento que não exige muita leitura e nem muito raciocínio (se você conhece as regras previstas nos manuais de redação – principalmente o Manual da Presidência –, não terá dificuldades).
  5. Depois, parta para as questões de gramática, uma vez que muitas delas não dependem do texto para serem resolvidas – ou apenas exigem o conhecimento de trechos do texto. Além de serem questões mais objetivas, elas permitem ao candidato conhecer um pouco dos textos a serem analisados (assim, quando for o momento de efetivamente ler o texto, ele já não será mais tão inédito assim).
  6. Por fim, resolva as questões de análise de textos. Inicialmente, leia as questões. Só depois vá ao texto. Essa é uma técnica chamada leitura objetiva, que significa ler o texto já sabendo o que se deseja encontrar nele. Você não lê um texto em uma prova para se informar, mas para responder questões. Esta é a sua meta! Isso tem uma finalidade: evitar ir ao texto demasiadamente. Você, com certeza, já viu um filme mais de uma vez, certo? Em cada uma das vezes, com certeza, você encontrou novas informações, construiu novos entendimentos. Isso também ocorre quando você lê um mesmo texto várias vezes, pois começará a ver informações demais – inclusive algumas inexistentes. Isso, combinado ao nervosismo da prova e à ansiedade pelo bom resultado, leva ao erro.

O que acabei de compartilhar não é uma verdade absoluta, mas algo que vi que trouxe bons frutos aos diversos alunos que já tive! O meu conselho: simule essa situação! Pegue provas antigas e faça um teste. Avalie se essa metodologia é útil para você!

Deixe uma resposta