Programa de combate à violência doméstica

Para reforçar o combate à violência doméstica, a Polícia Militar ampliou na segunda-feira (7), de duas para 13, as regiões do DF atendidas pelo programa de “Educação para Cidadania e Segurança” (Educs), que treina militares do policiamento comunitário para identificar e coibir agressões no ambiente doméstico.

 

“Como quase 100% desses casos ocorrem dentro dos lares, temos que fazer um trabalho de aproximação entre policial e comunidade e tentar identificar as agressões sofridas por mulheres que, por medo, preferem não denunciar”, explicou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Jooziel de Melo Freire.

 

Nesta segunda-feira (7), 39 militares que passaram pela capacitação para ingressar no programa se formaram e, dentro de um mês, começarão a atuar nas Asas Sul e Norte, Taguatinga, Guará, Gama, Samambaia, Planaltina, Paranoá, São Sebastião, Recanto das Emas e Santa Maria.

 

Durante a formatura, realizada no auditório Parlamundi, na Legião da Boa Vontade (LBV), com a presença do comandante-geral da PM e da primeira-dama do DF, Ilza Queiroz, paraninfa da turma, foi assinada uma portaria que regulamenta o programa em outras cidades do DF.

 

Nascido em Ceilândia, em 1992, o Educs surgiu como programa de alfabetização para adultos, mas a proximidade com a comunidade permitiu que muitos problemas familiares e casos de violência doméstica chegassem ao conhecimento dos militares.

 

Após reformulação, o programa passou a atuar no combate à violência doméstica contra mulheres e idosos, ao abuso sexual de crianças e adolescentes e a fornecer ajuda e orientação a famílias que enfrentam algum tipo de problemas com drogas.

 

No ano passado a ideia foi replicada em Sobradinho e, atualmente, cerca de 3 mil pessoas são atendidas nas duas regiões.

Fonte:

Deixe um comentário