Processos somem e colocam detentos sob risco de “prisão perpétua”

Presos da Casa de Custódia são rendidos por policiais após rebelião em outubro; clique na imagem e leia mais Aliny Gama Do UOL, em Teresina O sumiço de processos das varas criminais no Piauí cria o risco de “prisão perpétua” de detentos no Estado, segundo o corregedor-geral de Justiça do Piauí, desembargador Francisco Antonio Paes Landim Filho. 

No país, um sentenciado pode ficar no máximo 30 anos encarcerado. “Quem é preso [no Piauí] está sujeito a viver numa prisão perpétua, sem sequer ser sentenciado”, afirmou. De acordo com o corregedor-geral, a consequência é a superlotação das penitenciárias piauienses. Landim Filho afirmu que existem presos que sequer possuem ficha criminal.
Landim Filho afirmou que até o final deste semestre todos os presos estarão cadastrados em um sistema de informatizado para organizar os julgamentos dos que ainda não foram sentenciados. O cadastramento já começa na Central de Flagrantes de Teresina.

Fonte: BOL Notícias


Sites e Blogs

Deixe um comentário