O príncipe de hoje é o mendigo de amanhã

Fazendo analogia ao artigo, a imagem do mendigo “gato” de São Paulo. Foto: Globo Repórter -Indy Zanardo

 

O monge tibetano Lobsang Rampa, que fez muito sucesso com seus livros nos anos 1970, ensinava: “O príncipe de hoje é o mendigo de amanhã, e o mendigo de hoje é o príncipe de amanhã”. O ensinamento é perfeito. Lobsang referia-se à Lei do Mérito, que manda dar a cada um de acordo com sua plantação. A vida é regida por leis, e o pensador italiano Pietro Ubaldi designava Deus por Deus-Lei.

De acordo com a plantação realizada no presente, o mendigo de hoje pode ser o príncipe de amanhã, e o príncipe de hoje, voltado para o prejuízo ao próximo, será o mendigo de amanhã. Poderíamos dizer que no Brasil dos políticos de hoje, o livre de hoje é presidiário de amanhã.

Deus permite a riqueza para que o rico, compartilhando com o necessitado, desenvolva solidariedade e humanidade e, ao mesmo tempo, o beneficiado, humildade, gratidão e capacidade de realização. Desta maneira, os dois aproximam-se do Criador.

Sempre que essas qualidades não forem observadas, o pobre ficará mais pobre, e o rico ou sua família perderá sua riqueza. Sempre que essas qualidades forem observadas, o pobre tornar-se-á rico, e o rico ficará ainda mais rico. Neste caso, comprova-se a Parábola dos Talentos: “ao que tem se lhe dará e terá em abundância, e ao que não tem até o que parece que tem lhe será tirado”.

Não quer ser pobre? Não explore o trabalhador, não o humilhe, e o ajude a crescer. A função do superior é elevar o inferior, ensinou o Mestre Emmanuel. Não quer sofrer violência? Seja pacífico. Não viva destilando ódio contra os violentos. Ao odiá-los, você gerará idêntico magnetismo que atrairá a violência sobre você.

Não quer perder sua família? Trate-os bem, eduque-os, e dê bons exemplos. Se mesmo assim você for abandonado, ganhará uma família melhor pela Lei das Compensações. Abuso no passado, carência no presente; abuso no presente, carência no futuro. Ação positiva no presente, fartura no futuro.

Ser príncipe ou mendigo no futuro será o resultado do que você fizer hoje. Acorde! Você não nasceu por acaso. Você nasceu por uma causa. Trate o outro como gostaria de ser tratado.

Fonte:

Deixe uma resposta