Moradores divergem sobre mudanças no trânsito da cidade

Os moradores do setor QND, aprovaram, em audiência pública na noite de terça-feira (18), o projeto que propõe a abertura das vias de ligação entre a Avenida Comercial e o Pistão Norte, na altura das quadras 48 e 60. A proposta foi apresentada pela Administração Regional.

Com a aprovação do projeto, será feita a reconstrução dos espaços existentes, com implantação de passagens de pedestres, de veículos automotivos e de ciclistas entre as QND 30 a 60 e 48 a 59, priorizando a acessibilidade, segurança e conforto da população.

Para o administrador Carlos Jales, a nova via de ligação da Comercial Norte com o Pistão Norte favorecerá a mobilidade no setor, principalmente para os pedestres. “Vamos fazer uma via com arborização, ciclovia, calçadas e estacionamento, dando uma utilidade melhor para esta área e afastando usuários de drogas e criminosos, que se escondem por ali”, afirmou.

A audiência pública, proposta pelo deputado distrital Washington Mesquita (PSD), reuniu mais de cem moradores e contou com a presença do representante do Detran, José Lima Simões; do presidente da Associação  Comercial e Industrial de Taguatinga, Justo Magalhães; do comandante da Companhia de Taguatinga Norte, Capitão Malinosky; do prefeito comunitário da QND, Wesley Souza; e do representante da Caesb, Sebastião Garrido.

Memória

Na edição 41 (27 de janeiro a 1º de fevereiro/2012) o Brasília Capital destacou o esquecimento da Alameda João de Barro, setor onde será implantada a nova via, no setor QND. A reportagem mostrou que os moradores enfrentam muitas dificuldades no local. Além de lidar diariamente com a falta de iluminação, ausência de policiamento, assaltos, entulhos e buracos, os ciclistas se deparam com os carros e motos que desrespeitam a ciclovia e a utilizam como atalho irregular. Atualmente, não há sinalização no trajeto da ciclovia que liga a Comercial Norte às proximidades do Pistão, assim como não há agentes de fiscalização que inibam a circulação de carros e motos no espaço destinado aos ciclistas.

Mobilidade Urbana Sustentável

De acordo com as definições do Ministério das Cidades, Mobilidade Urbana Sustentável representa o resultado de um “conjunto de políticas de transporte e circulação que visam proporcionar o acesso amplo e democrático ao espaço urbano, pela priorização dos modos de transporte coletivo e não motorizados, de forma efetiva, socialmente inclusiva e ecologicamente sustentável”.

Para o professor de judô David César, morador da QND 43, a ciclovia representa uma via de transporte acessível, que estimula à prática esportiva e viabiliza a independência dos veículos poluentes: “A ciclovia poderia facilitar o dia a dia dos moradores e motivar a prática esportiva, por ser de livre acesso e funcionar como alternativa a outros veículos de locomoção. Infelizmente, aqui a realidade é outra. O ciclista é que precisa pedalar nas calçadas para desviar das motos e dos automóveis”.

Por Wanúbia Lima

Fonte:

Deixe um comentário