Ministros anunciam cortes adicionais no Orçamento

Terminou há pouco, por volta das 13h, a reunião em que a presidenta Dilma Rousseff, discutiu os cortes no Orçamento com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e as ministras Miriam Belchior, do Planejamento, Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, e Ideli Salvatti, das Relações Institucionais. A presidenta viaja por volta das 15h para o Rio, onde receberá o papa Francisco, que vem ao país para participar da Jornada Mundial da Juventude. O evento vai de 23 a 28 deste mês. Dilma volta à noite para Brasília.

Mantega e Miriam Belchior anunciam, hoje (22) à tarde, cortes adicionais de recursos do Orçamento Geral da União. O bloqueio está previsto para que o governo atinja a meta de superávit primário de 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país). O superávit primário é a economia que o governo faz para pagar os juros da dívida pública.

Hoje é o último dia para o envio ao Congresso Nacional do relatório bimestral de receitas e despesas. O esforço do governo é para evitar cortes nas áreas sociais. No começo do mês, Mantega disse que os cortes ficariam em aproximadamente R$ 15 bilhões, envolvendo principalmente despesas de custeio. Ele informou que o governo se empenha para não aumentar os impostos. “O importante é cumprir a meta de 2,3% [de superávit primário], e ela será obtida a qualquer custo”, disse ele, na ocasião.

A meta de superávit primário corresponde ao pagamento de juros da dívida pública, valor que compensa a perda de arrecadação com a redução de impostos ao longo do ano. O superávit primário é, portanto, a soma das receitas e despesas do governo, menos os gastos com pagamento de juros.

A reunião comandada por Dilma, de manhã, no Palácio da Alvorada, levou ao cancelamento de um encontro que ela teria com o diretor-presidente da Vale, Murilo Ferreira, e com Abílio Diniz, do Grupo Pão de Açúcar.

Fonte:

Deixe um comentário