Ministério da Agricultura anuncia interdição de mais dois frigoríficos

O Ministério da Agricultura informou nesta segunda-feira (27) que mais dois frigoríficos alvos da Operação Carne Fraca foram interditados: Souza Ramos, em Colombo, e Transmeat, em Balsa Nova (os dois estão instalados no estado do Paraná).

No caso do Souza Ramos, a unidade está interditada desde o último dia 21, mas o ministério diz que só foi informado na sexta (24) e, por isso, somente anunciou a interdição nesta segunda.

Segundo o governo federal, a decisão de interditar os frigoríficos foi tomada após fiscais auditarem essas unidades. O ministério não chegou a especificar os motivos, somente informou que foram encontrados indícios de falhas.

Procurado, Edinandes Alexandre Santos, da assessoria jurídica dos dois frigoríficos, informou que o Souza Ramos está interditado desde o último dia 21. Além disso, o Transmeat, de acordo com ele, está funcionando normalmente nesta segunda e não recebeu notificação do ministério (leia nota ao final desta reportagem).

No último dia 17, quando a Carne Fraca foi deflagrada pela Polícia Federal, três frigoríficos já haviam sido interditados: um da BRF, em Mineiros (GO), e dois da Peccin Agro Industrial, sendo um em Curitiba (PR) e outro em Jaraguá do Sul (SC).

Segundo as investigações da PF, fiscais do Ministério da Agricultura se envolveram em um esquema de liberação de licenças para frigoríficos sem a devida fiscalização, em troca de propina.

Recolhimento dos produtos

Na última sexta (24), a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça, determinou que todos os produtos dos frigoríficos Souza Ramos, Transmeat e Peccin sejam recolhidos do comércio.

A unidade da Peccin foi uma das três que já haviam sido interditadas pelo Ministério da Agricultura.

O frigorífico Souza Ramos, um dos novos interditados, está instalado em Colombo (PR) e era investigado por suposta substituição de matéria prima de peru por carne de outras aves e por trocar favores por procedimentos de fiscalização.

Já o Transmeat fica em Balsa Nova (PR) e foi acusado, no inquérito da Carne Fraca, por corrupção e injeção de produtos cárneos.

Novas interdições

De acordo com o Ministério da Agricultura, o número de frigoríficos interditados ainda pode aumentar, isso porque o ministro Blairo Maggi fará, ainda nesta segunda, um balanço das auditorias nas 21 unidades alvos da Carne Fraca.

Íntegra

Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pelo frigorífico Transmeat:

NOTA ESCLARECIMENTO

A empresa Transmeat, está trabalhando normalmente, estando apenas com uma linha de produtos parada, que é a linha de carnes temperadas. Sendo que tal paralisação em nada tem haver com problemas do frigorífico, e sim de ordem burocrática do próprio Ministério da Agricultura, pois eles não sabem dizer quem tem competência para liberação desta linha de produção, se o MAPA do Paraná ou o MAPA de Brasília.

Salientamos e deixamos claro, a Transmeat não está interditada.

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Fonte:

Deixe um comentário