Mantega nega que esteja deixando o governo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, reagiu duramente às informações que circulam nos meios políticos e econômicos de que estaria deixando o governo em decorrência da condução da política econômica.

“São fofocas, eventuais informações sobre a minha saída”, disse Mantega. Ao ser questionado por parlamentares sobre o assunto, ele acrescentou: “Se vamos dar ouvidos a fofocas, [imaginem] quantas fofocas temos ouvido sobre a saída de membros do parlamento [sem citar situações específicas]”.

Para Mantega, “é uma irresponsabilidade” espalhar notícias sobre a saída ou demissão de integrantes da equipe econômica no momento em que o Federal Reserve (FED), o banco central dos Estados Unidos, adota procedimentos que geram turbulências à economia mundial.

Sobre a instabilidade do câmbio, fenômeno que ocorre não só no Brasil, mas em outros países emergentes, o ministro disse que a questão tem que ver com a situação dos Estados Unidos. Segundo Mantega, é cedo para saber qual deverá ser o preço ideal da moeda norte-americana.

“Não sabemos [em que] patamar o câmbio irá se estabilizar. É claro que empresas que têm passivo em dólar terão problemas em seus balanços. Mas, futuramente, isso mudará”, disse.

O governo tem adotado uma série de medidas para tentar suavizar a alta do dólar, nas últimas semanas. Ontem (25), o Banco Central (BC) decidiu deixar de recolher depósito compulsório sobre a posição vendida de câmbio, indicando apostas de instituições financeiras na queda do dólar.

O objetivo da medida é aumentar a oferta de dólares no mercado futuro. Atualmente, em vez de esperarem a queda do dólar, as instituições financeiras estão apostando na alta da moeda norte-americana, na posição comprada de câmbio. Neste mês, até o último dia 19, os bancos estavam comprados em US$ 4,473 bilhões.

Daniel Lima*
Repórter da Agência BrasiL

*Colaborou Kelly Oliveira

Fonte:

Deixe um comentário