Lúcia Araújo Teixeira ganha primeira prata no judô paralímpico

Judô paralímpico-Tânia Rego-Agência Brasil
Judoca brasileira (E) perdeu a final para ucraniana Inna Cherniak. Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

O Brasil conquistou nesta sexta-feira (9) a primeira medalha no judô paralímpico no Rio de Janeiro. A judoca Lúcia Araújo Teixeira ganhou a prata na disputa com a ucraniana Inna Cherniak, que ficou com o ouro na categoria até 57 quilos.

Maior campeão paralímpico, o brasileiro Antônio Tenório, compete na primeira fase amanhã (10) de manhã contra o alemão Oliver Upman, na categoria até 100 quilos. Tenório tem quatro medalhas de ouro e uma de bronze. Também amanhã às 10h10,  Wilians Silva de Araujo enfrenta o iraquiano Garrah Albdoor nas quartas de final, na categoria acima de 100 quilos.

No judô feminino até 70 quilos, Alana Maldonado Martins compete nas quartas de finais com a britânica Natalie Greenhough. Na categoria acima de 70 quilos, Deanne Silva de Almeida disputa as quartas de final com a norte-americana Sarah Chung.

Os atletas brasileiros participam em 12 categorias do judô e a expectativa da seleção é que possam conquistar de duas a três medalhas. No total, o judô já rendeu ao Brasil 18 medalhas na história dos Jogos Paralímpicos, sendo quatro de ouro (com Antônio Tenório), cinco de prata e nove de bronze. 

Três divisões – No judô paralímpico, há três divisões – B1 (cego total), B2 (percepção de vultos) e B3 (com definição de imagens) – cada uma com diferentes graus de acuidade visual – e as três disputam entre si em suas respectivas categorias de peso. Em função disso, a modalidade já começa na posição da pegada (kumikata), para que os que têm menor grau de visão não sejam prejudicados.

 
Fonte:

Deixe uma resposta