Infanticídio no DF

A jovem de 21 anos que confessou ter matado o filho recém-nascido a tesouradas no último domingo (24/3), no Riacho Fundo, afirmou também que antes tentou matar a criança afogada em um vaso sanitário. Em conversa informal com uma assistente social do Hospital Regional de Samambaia (HRSam), onde ela foi atendida, ela disse que tentou dar descarga, mas o recém-nascido não desceu. 

Por causa do tamanho da criança, a jovem não conseguiu atingir seu objetivo, que era dar um sumiço na criança, já que sua família não sabia da gravidez. Como o primeiro plano não deu certo, a jovem, então, matou a criança com tesouradas e a escondeu dentro de uma bolsa. As informações foram divulgadas pela titular da 29ª Delegacia de Polícia, Alessandra Figueiredo, em coletiva de imprensa, nesta terça-feira (26/3). 

A mulher continua internada no HRSam por complicações pós-parto e deve ser ouvida pela delegada do caso assim que se recuperar. 

A família alega que a jovem cometeu o crime por estar sofrendo de depressão pós-parto. A jovem confessou o crime e disse estar desesperada. Segundo o delegado-adjunto Alexander Oliveira se o laudo do Instituto Médico Legal (IML) mostrar que a criança nasceu morta, a jovem não será indiciada. 


Fonte: Correio Braziliense

Extratos dos Jornais

Deixe um comentário