Governo terá Centro de Gestão Integrada

Nesta semana, no dia 10, será iniciada a licitação que contratará, por meio de parceria público-privada, a empresa responsável pela implantação do Centro de Gestão Integrada (CGI) do Governo do Distrito Federal.

 

“O CGI consiste em ter em um mesmo ambiente os diversos órgãos de governo trabalhando juntos, recepcionando as demandas, desencadeando as tarefas e criando uma maior interação com a população”, disse o secretário da Casa Civil, Swedenberger Barbosa.

 

O sistema vai integrar todos os sistemas de informação existentes no governo e reunirá informações estratégicas que possibilitarão respostas rápidas na área de segurança e gerenciamento de serviços públicos.

 

Lançado no final de agosto, o edital prevê um contrato de 15 anos, renovável por mais 20 anos. O investimento será de R$ 262 milhões. A previsão é de que o processo licitatório seja concluído até o final de novembro.

 

TECNOLOGIA – O CGI é o segundo passo de um sistema implantado em dezembro do ano passado, que consiste em acompanhamento em tempo real de dados e órgãos públicos do DF por meio de câmeras espalhadas pelo DF e planilhas eletrônicas interativas: o Sistema de Monitoramento e Gestão.

 

“Fizemos o georreferenciamento de todos os equipamentos públicos. Monitoramos 128 câmeras e 820 projetos”, explicou Gustavo Shimoda, diretor de projetos e sistemas informatizados da Casa Civil, um dos responsáveis pela criação da tecnologia.

 

A tecnologia tem acesso a câmeras instaladas em diversos hospitais, no Metrô e em algumas vias. É possível detectar se há uma grande aglomeração de pacientes esperando atendimento, por exemplo. Também tem acesso a dados em tempo real de todas as obras de infraestrutura em andamento, de escolas, creches, metrô, malha elétrica, entre outros.

 

As informações e imagens estão disponíveis em 12 painéis dentro do gabinete do governador Agnelo Queiroz e em seu tablet pessoal.

 

O diretor do Hospital de Base (HB), Julival Fagundes, conta que já recebeu ligações do governador pedindo explicações sobre o que estava vendo por meio das câmeras. “Ele fica muito atento à emergência do HB. Sempre liga para saber por que uma ambulância está parada ou por que o paciente está na maca. E nós temos que dar respostas”, contou.

 

“O sistema também acompanha todas as decisões da Junta de Execução Orçamentária (JEO) e os Projetos Estruturantes do DF (com os principais investimento do Governo nas cidades) e o PAC (os programas desenvolvidos com o Governo Federal), entre outros”, completou Barbosa, usuário do sistema.

 

O Sistema de Monitoramento e Gestão foi criado por seis funcionários de carreira do GDF, sem custos

Fonte:

Deixe um comentário