Gás de pimenta, atropelamento e “fora, Temer” marcam protestos contra governo

A medida que o pronunciamento do presidente Michel Temer ia chegando ao fim na tarde desta quinta-feira (18), mais pessoas se reuniam nas ruas do Brasil. A decisão de Temer de permanecer em seu posto fez com que a quantidade de pessoas aumentasse cada vez mais.

Organizadores e policiais militares estimam que mais de 40 mil pessoas foram protestar contra o atual governo em todo o Brasil. As cidades de Porto Alegre, Recife, Juiz de Fora foram as que mais tiveram adesão de pessoas ao ato: dez mil.

Leia tudo sobre a maior crise do governo Temer

Foto mostra momento em que carro atropela manifestantes, em Goiânia. Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Em Goiânia (GO) – Uma motorista furou o bloqueio da manifestação e acabou atropelando duas pessoas que estavam no ato. Em seguida, o carro da mulher foi depredado. Os feridos foram levados para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e também para o 1º Distrito Policial da capital. De acordo com boletim médico, divulgado pelo Hugo, a mulher atropelada está consciente, orientada, verbalizando e respirando de forma espontânea. Ela ainda é avaliada pela equipe multiprofissional da emergência da unidade. O outro acidentado passa bem e teve ferimentos leves.

Em Brasília – Os protestos em Brasília reuniram 1,5 mil pessoas e ocorreram de forma pacífica até o momento que um grupo derrubou as grades que protegiam o Palácio do Planalto. Em resposta, policiais militares revidaram com bombas de gás.

A confusão se estendeu até a rodoviária do Plano Piloto, onde, segundo a PM, um outro grupo arremessou pedras contra a corporação. Alguns manifestantes foram agredidos pelos militares, um deles é colaborador do Portal independente de notícias Mídia Ninja (veja vídeo).

 

 

As denúncias

O presidente Michel Temer foi gravado dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). As informações são do jornalista do O Globo, Lauro Jardim.

O presidente, na gravação, indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F, empresa que detém a posse majoritária das ações da JBS. O deputado, então, foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley Batista – que disse a Temer que ele estava dando uma mesada a Cunha e ao operador Lúcio Funaro para que ficassem calados. Segundo o jornal, o presidente disse “tem que se manter isso, viu?”.

Leia tudo sobre a maior crise do governo Temer

Toda a trama foi autorizada pela Justiça Federal e supervisionada pela Polícia Federal.

Batista, conforme a reportagem, firmou delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) e entregou gravações sobre as denúncias. Segundo o jornal, ainda não há confirmação de que a delação do empresário tenha sido homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

 

 

*Com informações do Portal G1

*Vídeo da Mídia Ninja

 

Deixe uma resposta