Familiares angustiados no além

 

Luis Sérgio, em seu excelente livro “Novas Mensagens”, aborda a questão do sofrimento de familiares após a morte, por desconhecimento da nova realidade. Nessa obra, Luis Sérgio confirma o que ensinou Chico Xavier: “Aproximadamente 70% das pessoas desencarnadas não sabem que desencarnaram; não sabem que são espíritos”.

Vejamos: “Quando nos deparamos vivos após termos morrido, achamos as primeiras experiências excitantes, depois nos ambientamos. Aos poucos, acostumamos-nos a uma vida diferente, embora os primeiros passos sejam vacilantes, sem firmeza nem segurança.

“O espírito que acorda em ignorância completa de seu estado de desencarnado procura agir de forma a firmar na terra seus passos, buscando os lugares costumeiros por onde transitava. E é aí que vai encontrar motivos para desequilibrar-se.

“Procura os amigos em vão, porque eles não o percebem, e sente-se ferido tremendamente por imaginar-se desprezado, podendo seu estado tornar-se lastimável devido aos choros e lamúrias, reclamos e inconformações dos entes familiares dos quais se apartou. Vemos comumente pessoas magnetizando espíritos junto a si, inconformadas com sua ausência. O amor na Terra ainda tem muito de egoísmo.

“Desde que um irmão termina seu estágio terreno, é aconselhável deixá-lo em paz.  Podemos e devemos ajudá-los com nossas orações, pedindo a Jesus e aos bons espíritos que o ajudem, em vez de nos diluirmos em prantos e reclamações, que a nada levam, a não ser piorar o equilíbrio de todos.

“Quero que creiam no poder do auxílio a distância. Se ele morreu entre os encarnados, nasceu entre os espíritos. O que parece ser o fim é o princípio de uma nova era. No mundo dos espíritos fazemos também como na Terra: esperamos a volta de nossos amigos com nossa casa em festa. Então, procuremos manter a paz à nossa volta confiando na eternidade de nosso ser espiritual”.

Fonte:

Deixe uma resposta