Escolas do Rio fazem paralisação contra reforma da Previdência nessa quarta

Profissionais de educação das redes municipais, estaduais e particulares participam da paralisação de 24 horas por melhores condições de trabalho e contra a reforma da Previdência. Professores e funcionários de pelo menos 60 escolas privadas participarão do protesto e não vão trabalhar nesta quarta-feira (15).

No Colégio Santo Inácio, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, uma reunião de pais estava marcada para esta quarta, mas os funcionários não têm certeza se ela irá acontecer.

O Governo Federal mandou para o Congresso Nacional um pedido para mudar para 65 anos a idade mínima para os professores aposentarem. Isso acabaria com a atual aposentadoria especial. Atualmente, as professoras podem pedir aposentadoria com 25 anos de contribuição e 50 anos de idade e os professores com 30 anos de contribuição e 55 anos de idade.

Transporte

Apesar da decisão do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio de Janeiro (Sintraturb Rio) em aderir à paralisação em protesto contra as reformas trabalhista e previdenciária, os usuários dos ônibus no Rio encontram o serviço funcionando normalmente no começo da manhã desta quarta-feira (15). Conforme mostrou o Bom Dia Rio, havia ônibus circulando e trens, metrô e barcas funcionavam normalmente.