Dilma aponta favorito para ministério e divide PR

A Polícia Civil já está em poder do homem suspeito de matar a  professora  Christiane Silva Mattos, de 37 anos. A identidade do rapaz é mantida sob sigilo para preservar o andamento das investigações. Investigadores o localizaram na madrugada deste sábado (30) em Santa Maria. Impressões digitais deixadas no carro da vítima ajudaram os peritos na identificação do acusado. Ele presta depoimento no Departamento de Polícia Especializada (DPE).

A professora  tinha o hábito de buscar o casal de filhos, um garoto de  sete e uma menina de dois anos,  na escola, na 906 Sul, sempre às 17h30. Mas na tarde de quinta-feira a rotina foi modificada. A mãe não pegou as crianças. A escola comunicou   ao pai,  o 1º sargento da Aeronáutica  Marcos Aurélio de Souza Mattos, 39 anos, às 18h30, que os filhos não haviam sido  pegos. 
Preocupado com o fato, o militar telefonou para familiares, mas não teve informações do paradeiro da mulher e denunciou o desaparecimento   à polícia. Por volta das 21h, o corpo de Christiane foi encontrado dentro do carro dela, um Fiat Bravo preto, no estacionamento  9 do Parque da Cidade.
Christiane foi estrangulada. No pescoço,  rosto e nos braços haviam hematomas, denunciando  luta corporal.  A professora  estava sentada no banco do motorista e usava cinto de segurança. Um fato intriga a polícia:  o autor do crime não roubou qualquer objeto da vítima. Dentro do carro, estavam a bolsa, a carteira com  dinheiro, cartões de crédito, o telefone celular e uma sacola com ovos de Páscoa.
Fonte: Jornal de Brasília

Extratos dos Jornais

Deixe um comentário