DF fica estagnado e abaixo das metas do Ideb em todos os níveis de ensino

 

Estudante de escola pública usa giz de cera para colorir desenho  (Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília)
Estudante de escola pública do Distrito Federal usa giz de cera para colorir desenho (Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília)

A educação do Distrito Federal ficou estagnada e permaneceu abaixo da meta de qualidade entre 2014 e 2015, segundo dados do Ministério da Educação divulgados nesta quinta-feira (8). O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) aponta que as escolas públicas e privadas do DF não atingiram as notas mínimas previstas pela União – nem no ensino fundamental, nem no ensino médio.

Além do DF, apenas Rio de Janeiro e Amapá tiveram resultado abaixo do esperado em todos os ciclos escolares. O Ideb é medido a cada dois anos e, desde 2007, é a primeira vez que a capital federal não cumpre a meta dos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano).

Em uma escala de 0 a 10, os alunos desse ciclo inicial do Ensino Fundamental tiveram média 6,1 – a meta era de 6,2. Nos anos finais do fundamental (6º ao 9º), o DF deveria ter ficado com 5,1, mas só atingiu 4,5.

Ideb do 1º ao 5º ano no DF
Ano Nota Meta
2007 5,0 4,9
2009 5,6 5,2
2011 5,7 5,6
2013 5,9 5,8
2015 6,0 6,1
Fonte: Inep

No Ensino Médio, as metas de aprendizagem são mais baixas, mas o DF não consegue “passar de ano” no Ideb desde 2011. Em 2015, a média dos alunos ficou em 4,0, enquanto a meta era de 4,5.

Na comparação com o Ideb anterior, de 2013, os resultados também são tímidos. A nota média dos estudantes do DF cresceu 0,1, para o ensino fundamental, e permaneceu com o mesmo valor no ensino médio.

As metas fixadas pelo MEC são sempre progressivas, e se estendem até 2021. Se a unidade da Federação fica para trás em um ano, precisa correr atrás do prejuízo para reverter o quadro nos exames seguintes.

 

Governo comemora
O governo considera que os dados são positivos. Segundo o Subsecretário de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação Educacional da Secretaria de Educação, Fábio Pereira de Sousa, os números refletem “um bom resultado”, mas ainda é preciso combater os altos índices de reprovação.

Governador Rodrigo Rollemberg em visita a escola de Ceilândia, no DF (Foto: Dênio Simões/GDF/Reprodução)
Governador Rodrigo Rollemberg em visita a escola de Ceilândia, no DF, em foto tirada em 2015 (Foto: Dênio Simões/GDF/Reprodução)

“Não é somente uma preocupação com a proficiência na prova do Ideb, mas em todos os componentes curriculares, como aprender na idade certa e ter seu fluxo continuado. Ainda estamos um pouco atrás, mas esperamos retomar o crescimento com a reorganização pedagógica.”

Ideb do 6º ao 9º ano no DF
Ano Nota Meta
2007 4,0 3,9
2009 4,4 4,0
2011 4,4 4,3
2013 4,4 4,7
2015 4,5 5,1
Fonte: Inep

No DF, a educação das séries iniciais do ensino fundamental foi dividida em dois blocos – um, para crianças de 6 a 8 anos, e outro, para alunos de 9 a 10 anos. No Ensino Médio, os estudantes trabalham os conteúdos em períodos semestrais.

Sousa considerou que a avaliação foi realizada em um mau momento, quando os professores da rede pública de ensino estavam em greve, em novembro do ano passado. “Em 2015 não tivemos tempo de implantar ações. Esperamos melhorar em 2017, quando completamos três anos da atual gestão”, complementou.

A Secretaria de Educação informou que, em outubro, vai pagar a última parcela do reajuste salarial dos professores. A categoria deve contar ainda com mais profissionais a partir de 2017, quando deve ocorrer o concurso público que prevê a admissão de cerca de 2 mil professores.

 

O que é o Ideb
O Ideb é um indicador geral da educação nas redes privada e pública, uma espécie de nota. Para chegar ao índice, o MEC calcula a relação entre rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e desempenho no Saeb/Prova Brasil aplicada para crianças do 5º e 9º ano do fundamental e do 3º ano do ensino médio.

Ideb do ensino médio no DF
Ano Nota Meta
2007 4,0 3,6
2009 3,8 3,7
2011 3,8 3,9
2013 4,0 4,1
2015 4,0 4,5
Fonte: Inep

 O índice é divulgado a cada dois anos e tem metas projetadas até 2021, quando a expectativa para os anos iniciais da rede estadual é de uma nota 6,0. Assim, para que o Ideb de uma escola ou rede cresça é preciso que o aluno aprenda, não repita o ano e frequente as aulas.

 

Origem do Ideb
O Ideb foi criado em 2007 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e é divulgado a cada dois anos. O Ideb divulgado nesta quinta-feira diz respeito ao desempenho das escolas, redes, municípios, estados e Brasil em 2015. O desempenho é comparado com as metas calculadas a partir da primeira edição, em 2005, e projetadas para todas as edições futuras, até o ano de 2021.

Há um indicador calculado para cada nível do ciclo básico: o ensino fundamental I (avaliando os estudantes do 5º ano), o ensino fundamental II (avaliando os estudantes do 9º ano), e o ensino médio (avaliando os estudantes do 3º ano).

Fonte:

Deixe uma resposta