CPI da Saúde ouvirá o presidente do SindSaúde e o vice-governador na quinta-feira

Renato Araújo-Agência Brasília
Renato Santana falou sobre pagamento de propina em contratos firmados pelo GDF, em áudio gravado por Marli Rodrigues. Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

A presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, e o vice-governador Renato Santana serão ouvidos na próxima quinta-feira (21), no plenário da Câmara Legislativa, pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga denúncias de corrupção na Saúde do DF, entre janeiro de 2011 e março deste ano.  Marli é autora de gravações de áudios, na quais discute com Santana casos de pagamento de propina em contratos firmados pelo GDF. A decisão de ouvir os envolvidos foi tomada hoje (19) pela CPI, que também aprovou a oitiva de outros dois citados nos diálogos, o ex-secretário de Saúde, Fábio Gondim, e Marcello Nóbrega, subsecretário da pasta.

A pedido da convocada, Marli será ouvida em reunião secreta, somente com a presença de parlamentares. “Ela teme pela sua segurança, pois nos disse que trará documentos que comprovam a participação de nomes importantes em esquemas de corrupção”, explicou Wellington Luiz (PMDB), presidente da CPI. Já o depoimento do vice-governador, aprovado sob a forma de convite, ocorrerá de forma aberta, às 15h.

O deputado Bispo Renato (PR) chegou a pedir a presença do governador Rodrigo Rollemberg para prestar esclarecimentos à CPI. “Se as denúncias chegaram ao conhecimento dele e nada foi feito, então podemos estar diante de um caso de prevaricação. De minha parte, o governador está convidado para vir aqui e dar explicações”, afirmou.

O deputado Roosevelt Vilela (PSB) saiu em defesa de Rollemberg. “É prematura qualquer tipo de ilação neste momento. Antes de mais nada, precisamos ouvir a Marli e verificar se ela apresentará provas de suas denúncias. O que vejo até agora é um desespero e uma falta de respeito da presidente do sindicato, que grava conversas de forma covarde para usá-las depois”, ressaltou.

O presidente da CPI informou que técnicos da CPI estão trabalhando na transcrição dos diálogos gravados e que tudo será tornado público em breve. Segundo Wellington Luiz, as oitivas de Fábio Gondim e Marcello Nóbrega deverão ficar para agosto, quando os integrantes da CPI estarão mais bem informados em relação às denúncias.

Recesso mantido – A presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão (PPS), editou ato oficial (272/2016) na tarde da segunda-feira determinando que a Casa manterá o  funcionamento em período de recesso (das 13h às 19h) até o final de julho, com exceção das unidades administrativas que dão suporte ao trabalho da CPI da Saúde, “que deverão manter regime de plantão nos dias de reunião convocada pela CPI, durante o recesso parlamentar”.

Fonte:

Deixe uma resposta