Coronel da PM é afastado do cargo após demonstrar, publicamente, preocupação com a tropa

O Coronel da PM, Jean Rodrigues de Oliveira, foi afastado de suas funções como Comandante da Academia de Polícia Militar após demonstrar, publicamente, sua preocupação com a tropa e a segurança dos cidadãos de Brasília.

Para ele, a luta pela equiparação salarial entre a Polícia Civil, a Polícia Militar e os Bombeiros do DF é uma questão de justiça e reconhecimento pela importância do trabalho dessas forças junto a comunidade do DF.

Acreditando nisso, divulgou nova carta aberta  que o Brasília Capital reproduz a seguir na íntegra

 

“Nova Carta Aberta

Meus caros amigos,
Hoje, dia 05 de setembro de 2016 infelizmente o Governo do Distrito Federal demonstra mais uma vez o quanto está tratando de forma desigual os integrantes da segurança pública.

Em função das minhas críticas ao desmonte dos Batalhões da PM feito pelo decreto distrital 37321 e das minhas exigências para que nós policiais militares e bombeiros recebêssemos os mesmos percentuais de aumento que exige nossa co-irmã policia civil, estou sendo exonerado das minhas funções de comandante da Academia e instado a responder um processo disciplinar interno.

Desde o início das conversações sobre as questões salariais, não obstante exaltações exacerbadas que ocorreram por parte de integrantes de outra força, sou o primeiro membro da segurança pública do DF a ser destituído do cargo tão somente por falar o que pensa.

Nunca me posicionei contra o aumento dos policiais civis, muito pelo contrário, apoio a luta deles… tenho diversos amigos lá. Mas por outro lado, não posso me calar diante da possibilidade de tratamento desigual com relação a nós policiais militares e nossos irmãos bombeiros.

Não agi com indisciplina, não incitei ninguém a cometer nenhum crime militar, nenhuma desobediência, nada disso… Só me posicionei diante daquilo que acho justo e corroborando o que o próprio Governador afirmou: que trataria o reajuste salarial da segurança pública de forma conjunta. Foram palavras dele mesmo, empenhadas a nós.

Nós policiais militares não podemos fazer greve, não temos sindicatos e por isso cabe a nós comandantes brigar por nossa tropa. É meu dever me posicionar. Me desculpem… Mas neste aspecto, aqueles que me conhecem entendem, não consigo me calar. Meus amigos e familiares sabem como honra e respeito ainda são valores muito caros para mim.

Portanto meus amigos, reafirmo a todos insistentemente, oferecer um aumento aos policiais civis, sem estender estes mesmos percentuais aos PMs e bombeiros de forma conjunta, é uma irresponsabilidade imensa com o povo de Brasília. Isso pode levar a uma total desmotivação da tropa, com consequências internas e externas gravíssimas.

Encarecidamente eu peço novamente ao senhor Governador Rodrigo Rollemberg, a despeito da assessoria que alguns possam lhe estar prestando, não trate os integrantes da segurança de maneira desigual. Coloque todos reunidos na mesma mesa, de forma conjunta, e discuta a melhor saída. Tenho certeza que dai pode sair a melhor solução para todos. Que Deus nos proteja e nos guie. Obrigado.

Coronel JEAN Rodrigues Oliveira”

Fonte:

Deixe um comentário