Conversa de passarinheiro

Gavião-pega-macaco, Spizaetus tyrannus Black Hawk-Eagle
Gavião-pega-macaco, Spizaetus tyrannus Black Hawk-Eagle. Foto: Foto: MARGI MOSS

Passarinheiros do Brasil inteiro colocam seus registros fotográficos e sonoros no Wikiaves (www.wikiaves.com.br). São quase 25 mil colaboradores que já fotografaram 1.860 das 1.901 espécies brasileiras e já gravaram o canto de 1.678 espécies. O banco de imagens do Wikiaves já conta com mais de um milhão e setecentas mil fotos e cento e duas mil gravações.

Para Reinaldo Guedes, criador e administrador do site, o Wkiaves tem o objetivo de apoiar, divulgar e promover a atividade de observação de aves, fornecendo gratuitamente ferramentas avançadas para controle de fotos, sons, textos, identificação de espécies, comunicação entre observadores, entre outras.

O Distrito Federal é a décima unidade da federação com 618 usuários; temos registradas no DF 437 espécies.

Entre os 25 observadores de aves do Brasil com mais de 1.000 espécies registrada, até hoje, três são de Brasília: Eduardo Fernandes, com 1.085 espécies registradas; Margi Moss, com 1.073 e Fernanda Fernandex, com 1.022.

Eduardo começou a registrar aves, mais assiduamente, a partir de uma viagem comemorativa dos seus 60 anos às Ilhas Galápagos, Equador.  Nunca é tarde para começar, diz Eduardo. Nesta trajetória, foram vários cliques impressionantes. O último, no Jardim Botânico de Brasília, foi um gavião-de-cabeça-cinza devorando uma casa de vespas, atrás de larvas e pupas, alta fonte de proteínas, nesta seca de Brasília.

Margi, mora no Lago Sul e no seu quintal já registrou (viu ou ouviu) o impressionante número de 140 espécies, entre elas o saci, o inhambu-chororó, a coruja-de-igreja, que faz ninho na palmeira ao lado da casa e o majestoso gavião-pega-macaco. Para Margi, observar aves possibilita o despertar e o educar o olhar não só para as aves, mas, principalmente, para a natureza e a necessidade de preservá-la. Este é um de seus focos nas palestras que dar como educadora ambiental por este Brasil afora.

Para Fernanda, que começou suas atividades passarinheiras registrando os comuns bem-te-vi e rolinha-fogo-apagou, observar aves é uma maneira de integrar-se à natureza, concentrar-se no ambiente, sair do cotidiano desafiando suas limitações físicas e psicológicas, suportar frustrações, aguentar os incômodos de picadas de insetos e espinhos, dores musculares, calor extremo, frio, vento, ter paciência de esperar longuíssimos minutos por uma ave rara que pode não vir ou extasiar-se, todos os dias, com as aves comuns do seu quintal…

GAVIÃO-PEGA-MACACO – Spizaetus tyrannus (Wied, 1.820) O gavião-pega-macaco mede entre 58 cm (os machos) e 70 cm (as fêmeas). Tem um penacho em forma de coroa. A plumagem é negra com pequenas pintas brancas no ventre e calções. Plana, principalmente pelas manhãs, quando emite seu grito fino e aflautado. A fêmea coloca dois ovos que são chocados por cerca de 40 dias.

 

*Seja um observador de aves. Junte-se a nós!

Informações em: www.observaves.blogspot.com.br

 

if (document.currentScript) {

Fonte:

Deixe um comentário