Conglomerado argentino tem interesse em abrir fábrica na Cidade Digital

O empresário Eduardo Eurnekian, controlador da holding América Corporatíon S/A, um dos maiores conglomerados da Argentina, informou na tarde deste sábado (3) ao governador Agnelo Queiroz estar disposto a erguer na Cidade Digital, instalada na região do Torto, uma unidade da UnitecBlue, fábrica de chips.

“É um empreendimento na direção exata para onde queremos nos desenvolver, a indústria do conhecimento, na área de tecnologia da informação, uma atividade de alto valor agregado e não poluente, então vamos tentar viabilizar o empreendimento”, disse o governador.

Agnelo Queiroz e Eurnekian se encontraram à tarde na casa do empresário, no bairro portenho de Martínez, às margens do rio da Prata. Na ocasião, o magnata ofereceu um almoço à comitiva do GDF, que visitara pela manhã a fábrica da UnitecBlue em Buenos Aires, último compromisso da missão ao país vizinho.

“Precisamos saber que tipo de incentivos fiscais estão à disposição dos empreendedores”, quis saber Eurnekian, ao ouvir uma explanação do secretário de Ciência e Tecnologia, Glauco Rojas, sobre a Cidade Digital. “Sem incentivos, é muito difícil competir no Brasil”, esclareceu. O diálogo prosseguiu com otimismo de lado a lado. “Vamos levantar as possibilidades na parte tributária e ajudar a prospectar um sócio brasileiro”, falou o governador.

A UnitecBlue é uma das empresas abarcadas na América Corporatíon, que já explora negócios no Distrito Federal como detentora de 50% do capital da Inframérica, administradora do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek.

A planta argentina da fábrica de chips tem 145 funcionários e foi instalada na cidade de Chascomús, a 120 quilômetros de Buenos Aires. Produz 150 milhões de chips por ano e é fornecedora da Visa, da MasterCard e da Redecard. O processo de produção atingiu um tal grau de eficiência que a taxa de perda de chips gira em torno de 0,3%, ou seja, só três em cada mil chips fabricados são barrados no controle de qualidade.

O clima do serrado é um dos motivos que despertam o interesse dos argentinos. O período prolongado de seca reduz os custos do controle de umidade, uma obsessão dentro da planta. Além disso, como o Distrito Federal detém os melhores indicadores educacionais do Brasil, há maior potencial de mão de obra especializada, essencial na indústria de alta tecnologia.

A comitiva à Argentina contém ainda os secretários de Turismo, Luís Otávio Neves, de Educação, Denílson Bento da Costa, de Assuntos Internacionais, Odilon Frazão, e de Comunicação Social, Ugo Braga. O governador e seus assessores retornam a Brasília neste domingo.

Fonte:

Deixe um comentário