Campanha contra o racismo

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) aproveitará as duas semifinais da Copa das Confederações do Brasil, que ocorrem amanhã (26) e quinta-feira (27), para levar aos torcedores mensagens contra o racismo. A ação faz parte das comemorações aos Dias contra o Racismo, instituídos pela federação em 2002 e, desde então, celebrados com campanhas todo ano, em jogos oficiais da Fifa.

Alem de mostrar um vídeo aos torcedores, que propaga a ideia de unidade, igualdade e respeito, os capitães das equipes do Brasil, da Espanha, do Uruguai e da Itália lerão mensagens antes do início das partidas em Belo Horizonte (amanhã) e Fortaleza (quinta-feira, 27).

O ex-jogador da seleção de Gana e da Liga Alemã de Futebol Anthony Baffoe disse que a modalidade é um importante instrumento de combate ao preconceito de todos os tipos. Segundo ele, houve avanços no combate ao racismo, mas ainda há um longo caminho a percorrer.

Baffoe afirmou que os jogadores vítimas de preconceito não devem lutar sozinhos contra o racismo, mas devem ter o apoio de todo o time, mesmo daqueles jogadores que não sofrem com isso.

Segundo ele, a Rússia, país-sede da Copa do Mundo de 2018, é um dos lugares mais problemáticos hoje em dia. Segundo ele, vários casos de racismo foram registrados contra jogadores. Mas o ex-jogador acredita que a Copa do Mundo será uma excelente oportunidade para que os russos aprendam a respeitar as diferenças raciais.

A Fifa condena o racismo e prevê sanções por meio de vários documentos como os códigos de Ética, Conduta e Disciplinar, além do seu próprio estatuto. Em casos de racismo, o oficial da partida faz um relatório, que é analisado por uma comissão disciplinar e pode resultar em punições como a suspensão por alguns jogos.

Vitor Abdala
Repórter da Agencia Brasil

Fonte:

Deixe um comentário