Brasileiro é candidato a OMC

Paralisada há cinco anos pelos impasses na rodada Doha de liberalização do comércio global, a Organização Mundial do Comércio escolhe agora um novo diretor-geral que terá como missão recobrar a relevância de uma instituição essencial ao crescimento econômico global.
O brasileiro Roberto Azevêdo, cuja candidatura foi lançada pelo governo no fim de 2012, desponta como um dos favoritos entre os nove candidatos para suceder Pascal Lamy, que nos próximos dois meses se submeterão a três etapas de votação pelos 159 países-membros.
Candidato do Brasil à presidência da OMC, Roberto Azevêdo, em entrevista coletiva na organização em 31 de janeiro
Candidato do Brasil à presidência da OMC, Roberto Azevêdo, em entrevista coletiva na organização em 31 de janeiro

À frente da missão do Brasil na OMC desde 2008, o embaixador tornou-se respeitado e querido em Genebra, onde fica a sede da organização.

Seu nome, porém, é menos conhecido nas capitais, de onde partirá a decisão e onde a tendência é ligar sua candidatura à política comercial do Brasil — vista como protecionista por observadores e analistas estrangeiros.

A votação na OMC ocorre por meio de consultas sigilosas aos países-membros, que apontam seus favoritos. Até 9 de abril, quatro serão eliminados, e depois, três, até o resultado sair no fim de maio.

Fonte: Folha Online

Sites e Blogs

Deixe um comentário