Brasil vai encarar Alemanha na final do futebol olímpico

itaquerão-divulgação
Itaquerão foi o palco do duelo que deu a vitória aos alemães. Foto: Divulgação

Em busca da primeira medalha de ouro olímpica de sua história, a Seleção Brasileira enfrentará a Alemanha. Na tarde desta quarta-feira (17), apesar de contar com o apoio irrestrito da torcida na arena de Itaquera, a Nigéria acabou derrotada por 2 x 0.

Mais cedo, no Rio de Janeiro, a Seleção Brasileira avançou à final dos Jogos ao golear Honduras por 6 x 0. A decisão da medalha de ouro está marcada para as 17h30 de sábado, no Maracanã. A briga pelo bronze, entre Nigéria e Honduras, ocorre às 13h, no Mineirão.

Ganhadora de três pratas e dois bronzes, a Seleção Brasileira buscará o inédito ouro olímpico diante de um adversário traumático. Na semifinal da Copa do Mundo 2014, em pleno Mineirão, foi massacrada por 7 x 1 pelos europeus. Na história dos Jogos, apenas a Alemanha Oriental, em Montreal 1976, foi campeã.

Ainda incomodada com a humilhação sofrida pela Seleção principal em 2014, a torcida vaiou a Alemanha desde a entrada dos atletas para o aquecimento nesta quarta-feira – o zagueiro Matthias Ginter integrou o elenco da Copa do Mundo. 

Assim que a partida começou, os gritos de “Nigéria” se misturaram aos de “Timão eô”. A torcida passou a saudar com “olé” os passes dos africanos e a insultar o goleiro Horn a cada tiro de meta. No momento em que Gnabry tomou cartão amarelo, a vibração foi intensa.

Logo aos oito minutos, apesar do cenário hostil, a Alemanha abriu o placar. Em uma boa trama pelo lado direito do ataque, Meyer cruzou para Klostermann completar. Pouco depois, o goleiro Horn se atrapalhou em uma saída de bola com os pés, mas Umar não conseguiu aproveitar para empatar.

Em desvantagem no marcador, os jogadores nigerianos fizeram uma roda para conversar ao final do primeiro e instantes antes do início da etapa complementar. Logo aos dois minutos, porém, os africanos quase tomaram o segundo. Gnabry limpou a marcação e bateu de fora da área, mas Daniel fez boa defesa.

Nas arquibancadas, corintianos, palmeirenses, são-paulinos e santistas exibiam camisas de seus clubes. Juntos, aos gritos de “Nigéria eô”, tentaram empurrar o adversário da Alemanha no segundo tempo. O pequenino Saliu, de apenas 1,52m, caiu nas graças do público em Itaquera após substituir Udo.

Em busca do empate, a Nigéria ensaiou uma pressão na parte final do jogo, sem sucesso. Aos 43 minutos do segundo tempo, em um contra-ataque, Selke desceu pela direita e cruzou para Petersen, em posição duvidosa, marcar o segundo. Das arquibancadas, a torcida gritou: “Ô Alemanha, pode esperar, a sua hora vai chegar!”.

FICHA TÉCNICA
NIGÉRIA 0 X 2 ALEMANHA

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo-SP

Gols: Klostermann, aos oito minutos do primeiro tempo, e Petersen, aos 43 minutos do segundo tempo

Árbitro: Nestor Pitana (ARG)

NIGÉRIA: Daniel, Sincere, Shehu, Ekong, Umar (Ajayi), Ezekiel, Mikel, Umar, Udo (Saliu), Amuzie e Muhammed
Técnico: Samson Siasia

ALEMANHA: Horn, Toljan, Klostermann, Ginter, Suele, Sven Bender (Proemel), Meyer (Petersen), Lars Bender, Selke, Brandt e Gnabry (Max)
Técnico: Horst Hrubesch