Alunos do DF Alfabetizado receberão kit lanches

Começa hoje (2) a distribuição diária de dois mil kits lanches para alunos do DF Alfabetizado – voltado para beneficiários do DF Sem Miséria – ação que integra o Papa-DF, programa que viabiliza a compra de produtos de agricultores familiares, sem licitação.
“Nós não temos profissão. Vendemos de manhã para comer à tarde. Agora com a garantia desse lanche, acredito que vamos aprender mais porque estaremos alimentados”, disse Elias Alves da Costa, 47 anos, líder da comunidade cigana, em Sobradinho, que tem aulas há três meses.
O DF Alfabetizado tem o objetivo de alfabetizar jovens com mais de 18 anos, adultos e idosos e a proposta é torna-los aptos a ingressar na rede pública de ensino pelo EJA (Educação de Jovens e Adultos) e este é o primeiro contrato do Papa-DF a beneficiar diretamente esses estudantes.
“A aprendizagem é vinculada à alimentação. Alguns processos cognitivos só acontecem com determinados nutrientes. O único combustível que cérebro usa, por exemplo, é o carboidrato e se o aluno não tiver ingerido nenhum alimento, não funciona a contento”, argumentou a coordenadora da Alimentação Escolar da secretaria, Eliene Souza.
Ela explicou ainda que ausência de ferro causa anemia e, consequentemente, o estudante fica apático e cansado.
“É importante ressaltar que alimentação escolar não deve ser pensada como uma alimentação para quem não tem o que comer. É para o aprendizado. Se o estudante não tem comida em casa, é necessário buscar outros programas assistenciais”, reforçou.
NUTRITIVO – No kit lanche, os alunos podem receber, ao longo da semana, uma fruta, bebida láctea, iogurte, bolo, biscoito, pão e queijo e para a instrutora da turma no assentamento dos ciganos, Cleia Vieira dos Santos, os alimentos ajudarão a evitar a evasão escolar.
“O lanche está muito rico e ajudará a atrair as pessoas para as aulas. Acredito, também, que fará muita diferença no rendimento”, ressaltou.
No local, 29 alunos receberão o kit e metade dos produtos virão da Cooperativa Agropecuária de São Sebastião – Copas-DF – e 131 cooperados fornecerão leite.
Pelo litro, a entidade paga R$ 0,80 e alguns pequenos produtores chegam a tirar até 800 litros por dia e podem ganhar até R$ 10 mil por mês.
“Esse contrato com o GDF é muito importante para nós, pois garante a compra dos nossos produtos. Conseguimos até ampliar a cooperativa e a quantidade de leite recolhido diariamente dos produtores”, disse o supervisor técnico da Copas, Alessandro Rangel.
Todo leite recolhido passa por um processo rígido de inspeção e para o fornecimento são analisados itens como higiene no ordenha, sanidade e alimentação dos animais.
Na cooperativa, o produto é transformado em iogurtes, queijos, requeijões, manteigas. “Temos que ampliar nossa capacidade armazenamento porque assim teremos condições de ter estoque e comercializar nossos produtos”, adiantou.
GARANTIAS – O objetivo do Papa-DF é dar mais segurança ao pequeno agricultor, com a garantia de mercado para os produtos e a possibilidade de geração de empregos na propriedade e renda para a família.
“É mais uma oportunidade de mercado. O agricultor tem garantia de fornecimento por um período determinado e de preço, que é acordado antes de fechar o edital e independe da flutuação, que é um problema na agricultura”, complementou o coordenador de compras institucionais da Secretaria de Agricultura, Lucio Flavio da Silva.
Para ele, o projeto é essencial para incentivar essa modalidade de compra da agricultura familiar nas instituições do governo.
“Agricultura familiar é um dos setores que mais emprega mão de obra na área rural em todo o Brasil e no DF. Os produtos que saem dessas propriedades são responsáveis pela maior parte dos produtos que compõem a mesa do brasileiro”, reforçou.

Fonte:

Deixe um comentário